Crónicas

Quem com ferro fere…

«Algo deve mudar para que tudo continue como está»

Giuseppe Tomasi di Lampedusa

A situação no Brasil complica-se a cada dia que passa.A maior complicação de todas é entender como é que o atual presidente, Michel Temer se mantém na presidência depois das acusações de corrupção, com gravações e tudo. Nem um ano depois de ter liderado o movimento que afastou a sua antiga aliada, Dilma Roussef. O próprio Michel Temer enfrenta uma situação potencialmente mais grave.

As medidas que pretendia aprovar causaram revolta na população. Paira no ar o sentimento de que a população está a pagar o preço da corrupção.E ao saberem dos valores envolvidos nos atos de corrupção sentem que como está não pode continuar. A verdade nua crua é que a corrupção está instalada no sistema político.

O sentimento de revolta pode a qualquer momento dar origem a algo mais violento, e se a população sentir que a corrupção triunfa e os prejudicados são sempre os mesmos, todos os cenários ficam em aberto.

O Brasil corre o sério risco de se transformar na nova dor de cabeça do mundo e da América latina. Será possível evitar mais violência.

Felizmente, no hemisfério sul está a chegar o inverno, porque se todos os fatores se acrescentasse o calor, os ânimos iam ficar quentes.

A forma como Michel Temer conseguiu a presidência voltou-se contra ele, num exemplo claro de «feitiço que se voltou contra o feiticeiro.»


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir
error: