Mundo

Putin anuncia míssil nuclear que torna “inútil” a defesa dos EUA

Vladimir Putin anunciou que a Rússia criou um novo míssil nuclear que será impossível de intercetar. Até o escudo antimíssil dos EUA será “inútil”, garantiu.

Quando se pensava que a Guerra Fria tinha terminado com o fim da União Soviética, o ‘czar’ deu mostras da vontade de recuperar uma corrida ao armamento, anunciando o novo ‘brinquedo’ do arsenal russo.

O Presidente russo garantiu que a antiga superpotência tem vindo a testar novas armas nucleares e realçou o Sarmat, um míssil de “alcance praticamente ilimitado” e que consegue fugir a qualquer sistema de defesa.

Apelidado de ‘Satan’ (Satanás, um demónio bíblico) pela NATO, o Sarmat consegue transportar entre 10 a 15 ogivas nucleares.

“O sistema norte-americano antimísseis será inútil e não terá sentido”, garantiu Putin.

“Ninguém no mundo tem algo igual”, reforçou.

A apresentação do Sarmat serviu como pretexto para um aviso velado aos EUA: qualquer ataque a um aliado da Rússia, como a Síria, será retaliado de imediato.

“Consideramos qualquer uso de armas contra a Rússia ou seus aliados como um ataque nuclear ao nosso país”, afirmou o chefe de Estado russo.

O Presidente russo não podia ser mais claro: “Nenhum país do mundo tem, no dia de hoje, as armas que nós temos. Ponto final”.

Estará a Rússia a tentar despertar uma nova corrida às armas?

“Antes de termos os novos sistemas de armamento, ninguém nos escutava. Escutam-nos agora”, salientou Vladimir Putin.

“Não mostrei hoje todas as armas que temos. Por hoje, é o suficiente”, acrescentou: “Confio que tudo o que disse na minha mensagem servirá para acalmar qualquer potencial agressor”.

Os avisos de Putin surgem num ano de eleições presidenciais na Rússia e cerca de um mês após os EUA terem apresentado os novos eixos da política de armamento nuclear.


Mais partilhadas da semana

Subir