Política

PS pronto para “debate duro” na discussão do Orçamento na especialidade

antonio_jose_seguro1O líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, manifestou que os socialistas estão prontos para “um debate duro”, na discussão do Orçamento de Estado na especialidade. O partido liderado por António José Seguro vai apresentar alternativas, para permitir ao Governo desistir da medida de corte de um dos subsídios aos funcionários públicos e pensionistas.

“Estamos preparados para um duro debate na especialidade. Será um debate forte, no qual demonstraremos que não há nenhuma razão para que não sejamos mais justos para com os portugueses”, afirmou Carlos Zorrinho, que apresentou as 22 propostas do PS para ‘correção’ do Orçamento de Estado para 2012.

Essas sugestões socialistas prevêem a devolução de um salário e de uma pensão aos funcionários públicos e pensionistas, a manutenção IVA na restauração, na Cultura e na alimentação infantil, bem como a manutenção dos impostos sobre pequenas e médias empresas.

“São propostas importantes para a equidade do Orçamento, dinamização empresarial e para a mobilização do país para os desafios que se aproximam. Garantem menos sobrecarga e funcionários públicos e pensionistas, menos efeito recessivo sobre a economia e mais condições para as pequenas e médias empresas. E no final do exercício, a meta dos 4,5 por cento do défice ficará assegurada”, resumiu Carlos Zorrinho, numa conferência de Imprensa que decorreu na Assembleia da República.

“A troika não é árbitro”

Carlos Zorrinho rebateu o fantasma da troika, afirmando que “a troika não é árbitro, mas apenas parte deste processo” de aprovação do Orçamento. “Quando a troika foi árbitro, na Grécia, os resultados foram terríveis. E nós não aceitamos que a troika seja árbitro. Somos nós que temos de decidir”, sublinhou o líder parlamentar.

Segundo Zorrinho, “o excesso de precaução da troika surge para garantir que o programa de assistência tenha a maior cobertura possível”. Mas, defende, “esse excesso de precaução tem efeitos recessivos”.

Mais partilhadas da semana

Subir