Saúde

Projeto de sequenciação do genoma humano antecipa medicina genética

genomaOnze pessoas terão o seu genoma sequenciado, graças ao Porgene, projeto que arrancou em Cantanhede. O objetivo é avançar no tratamento precoce de doenças, com recurso à recolha de informação biológica de cada indivíduo que permitirá um tratamento personalizado.

É a genética ao serviço da medicina, num dia que pode marcar uma viragem. Em Cantanhede, arrancou o Porgene, projeto de sequenciação e compreensão do genoma humano, que fornecerá informação genética relativa ao indivíduo.

No dia 11 do 11 de 2011, às 11h00, 11 portugueses tornam-se pioneiros ao participar neste projeto, que avança a partir de hoje, no Centro de Inovação em Biotecnologia do BioCant, que conta com o apoio da Universidade de Coimbra e da empresa Critical Software.

O responsável máximo pelo parque tecnológico de Cantanhede, Carlos Faro, resume o Porgene como “as bases da medicina do futuro”, uma vez que permitirá uma nova abordagem médica, a partir de informação genética de enorme utilidade.

A sequenciação do genoma humano e sua análise não é mais do que o aproveitamento de uma fonte de informação inesgotável, que fornecerá diretrizes aos médicos, apontando os caminhos para tratamentos de doenças, partindo da informação biológica de cada indivíduo.

Num sentido amplo, o Porgene assume-se como um marco na medicina genética. E há 11 portugueses que participam neste projeto, que vai trazer benefícios para a saúde de milhões de pessoas, através da cura e da prevenção de diversas doenças.

Este projeto resume-se à recolha e armazenamento (num sistema informático) dos genomas destes 11 pioneiros, cuja informação será mantida confidencial e estará sujeita a total proteção de dados. Futuramente, essa informação vai ser utilizada pelo respetivo médico, com a vantagem de permitir tomar decisões mais corretas.

A partir de agora, abre-se um novo capítulo. O Porgene prevê a criação de parcerias com diversas entidades e unidades de saúde, com a finalidade de que o máximo de cidadãos tenham o seu genoma sequenciado.

Mais partilhadas da semana

Subir