Sociedade

Prémio Pessoa 2011 entregue a Eduardo Lourenço: “É bom ter um prémio com este nome”

eduardo-lourencoO Prémio Pessoa 2011 foi entregue a Eduardo Lourenço, como “reconhecimento de uma personalidade que marcou o século XX português”, e como homenagem “à generosidade e modéstia” da sua sabedoria. O ensaísta e filósofo reagiu à distinção. “Sou admirador de Pessoa e encontrei nele um motivo de pensamento. É bom ter um prémio com este nome”, disse à RTP.

O vencedor do Prémio Pessoa é o ensaísta Eduardo Lourenço, que foi informado ontem pelo júri de que seria distinguido. Segundo esse júri, “num momento crítico da História e da sociedade portuguesa, torna-se imperioso e urgente prestar reconhecimento ao exemplo de uma personalidade intelectual, cultural, ética e cívica que marcou o século XX português”.

O ensaísta já reagiu a esta homenagem. “Ficou muito contente e surpreendido. Como todos sabem, sou admirador de Pessoa e encontrei nele um motivo de pensamento e aprofundamento do sentido da nossa existência, História e destino. É bom ter um prémio com este nome, distinção que tem um sabor especial”, referiu, àquela estação de televisão.

Eduardo Lourenço foi membro desse júri desde o primeiro dia até 1993, tendo saído por vontade própria. A sua presença “prestigiou o Prémio”, que este ano celebra 25 anos de vida. O Prémio prestigia agora a sua “presença e a sua intervenção na sociedade, ao longo de décadas de dedicação, labor e curiosidade intelectual, que o levaram à constituição de uma obra filosófica, ensaística e literária sem paralelo”.

O júri homenagear ainda “a generosidade e a modéstia desta sabedoria”, que tendo deixado uma marca universal nos Estudos Portugueses e nos Estudos Pessoanos, “nunca desdenhou a heteredoxia nem as grandes questões do nosso tempo e da nossa identidade”.

Em 2011, a Fundação Gulbenkian iniciou a publicação das suas ‘Obras Completas’, sendo que ao I Volume das Heteredoxias o autor acrescentou textos posteriores ao original, obra fundadora do pensamento cultural português.

“Eduardo Lourenço é um português de que os portugueses se podem e devem orgulhar. O espírito de Eduardo Lourenço foi sempre reforçado pela sua cidadania atenta e atuante. Portugal precisa de vozes como esta. E de obras como esta”, pode ler-se na ata da reunião do júri.

O Prémio Pessoa é entregue anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período e na sequência de uma atividade anterior tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do País. Esta é a 25.ª edição.

Mais partilhadas da semana

Subir