Desporto

“Ponham-me bem-disposto ou vão bater com a cabeça no muro”, diz Bruno de Carvalho aos jogadores

Bruno de Carvalho deixou um sério aviso aos jogadores, cuja “responsabilidade” é só uma: “jogar à bola”. O presidente do Sporting visou também Jorge Jesus, exigindo-se que seja “o líder do balneário”.

Numa longa – e explosiva – entrevista ao Expresso, Bruno de Carvalho foi o que se esperava. Assumiu a liderança da hierarquia leonina, que tem de “ser respeitada”, até pelos atletas que recebem salários bem acima da “realidade do dia a dia”.

“Os atletas não percebem que são seres normais, cuja profissão é jogar à bola”, frisou.

“Se calhar, os jogadores teriam outro comportamento em campo se não fosse esta teoria absolutamente mirabolante de que são um mundo à parte, que tem de ser altamente protegido”.

A dias do Sporting disputar a final da Taça de Portugal, Bruno de Carvalho aumentou a exigência, recordando o protesto que os atletas divulgaram através das redes sociais.

Aos que fizeram esse protesto para forçarem a saída de Alvalade, o presidente deixou o aviso: “Se o fizeram, é porque não me conhecem de todo”.

“Se querem que eu seja sensível a alguma coisa, que me ponham bem-disposto, senão vão bater com a cabeça no muro”, ameaçou.

Assumindo o “sentimento de traição e deslealdade” face ao protesto, publicado online por 19 elementos do plantel, o líder leonino afirmou que no futebol não são precisos “pedidos de desculpas”.

“Há uma hierarquia que tem de ser respeitada e um líder que tem de dizer às vezes ‘não’. O jogador quer sair, eu não deixo, ele fica chateado, vai para casa, no dia seguinte volta, a coisa passa. Ponto final”, insistiu.

Na entrevista, Bruno de Carvalho deixou também um recado velado a Jorge Jesus, assumindo-lhe que assuma a liderança do balneário.

“Acha que um treinador permitiria que os jogadores fizessem ao presidente aquilo que se escreveu? Que tinham virado as costas ao presidente, que se tinham recusado a treinar, e por aí fora? Só pode ser invenção da comunicação social, não é? Porque se fosse verdade era gravíssimo”, enquadrou.

E seguiu-se o aviso a Jorge Jesus: “Tem tudo de ser invenções não é? Porque se não, era mau sinal haver um líder de balneário assim. E o líder de balneário é o treinador”.

Mais partilhadas da semana

Subir