Nas Notícias

Polícias e militares agendam encontro nacional para decidir contestação ao Governo

A PSP, a GNR e outras forças de segurança vão reunir-se num encontro nacional, agendado para 20 de fevereiro, para definir como será feita a contestação ao Governo, que acusam de não cumprir a promessa de desbloquear as carreiras.

O encontro nacional foi convocado numa reunião de urgência que juntou, hoje, em Lisboa, a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), a Associação de Profissionais da Guarda (APG/GNR), a Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA), a Associação Nacional de Sargentos (ANS) e a Associação de Praças.

Na base da reunião de hoje esteve o facto de, quase a meio do segundo mês de 2018, o Governo ainda não ter desbloqueado os escalões das carreiras profissionais, como previsto no Orçamento de Estado em vigor.

“Decidimos voltar a reunir e marcar um encontro nacional de forças armadas e forças de segurança para dia 20 e, nesse encontro, iremos aprovar uma moção que iremos entregar ao senhor primeiro-ministro”, revelou o porta-voz do grupo, Paulo Rodrigues.

“Esperemos que tenha em conta essa moção porque poderá significar ou não aquilo que é o descontentamento total dos profissionais destas instituições”, reforçou o delegado da ASPP/PSP, citado pela TSF.

Polícias e militares estão descontentes pela forma “como estão a ser tratados” pelas tutelas, insistiu.

“Este tratamento é de desvalorização, de menosprezo por profissionais que todos os dias tentam manter aquilo que é o equilíbrio da segurança em Portugal”, concluiu Paulo Rodrigues.

Mais partilhadas da semana

Subir