Tecnologia

Piratas informáticos atacam crianças para roubar dados dos pais

computador_trojanInvestigadores da BitDefender descobriram atrativos jogos equipados com trojans. As crianças são enganadas e levadas a instalar nos computadores software malicioso.

Os burlões e piratas informáticos são cada vez mais propensos a atacar crianças, muitos deles demasiado jovens para saberem ler, com uma série de jogos online que os enganam para que instalem software mal-intencionado nos seus computadores.

Jogos que convidam as crianças para cuidarem de gatinhos virtuais, ou permitem pintar abóboras e bolhinhas, ou encontrar as diferenças entre duas imagens semelhantes, estão a infetados com trojans, que poderão dar acesso aos burlões a dados financeiros dos pais ou permitir-lhes tomar o controlo do equipamento.

“Algumas fraudes poderiam levantar suspeitas nos adultos, especialmente quando se trata de instalar software no computador ou redirigir os utilizadores informáticos a páginas online suspeitas”, assinala Catalin Cosoi, chefe de Laboratório de Ameaças Online da BitDefender,

“Assim, os burlões procuram objetivos mais fáceis. As crianças são mais fáceis de enganar para que façam clique num botão de download de tamanho grande e cores vistosas, sobretudo, se com isso esperam obter um jogo. Com cinco ou seis anos, ou inclusive mais, as crianças ainda não estão preocupadas com a segurança informática”, acrescenta.

O problema é que atualmente as crianças passam mais tempo na Internet e os pais muitas vezes descuram a supervisão. Um inquérito da BitDefender mostra que 46 por cento das crianças nos Estados Unidos da América e Reino Unido tem contas em redes sociais e que 24,7 por cento dos pais não supervisiona a atividade dos seus filhos na Internet.

Dos 1649 adultos entrevistados, 44,3 por cento afirmou que os seus filhos tiveram acesso a sites inadequados para a sua idade. A BitDefender descobriu malware em vários sites onde as crianças podem adotar e criar mascotes virtuais. Num deles, o “pincel mágico”, uma aplicação que permite mudar a cor da mascote, foi alterado para levar as crianças até um dowloand de malware.

Uma página italiana para crianças também foi hackeada e manipulada para expor todos os visitantes a sites com malware e até uma página de venda de peluches foi manipulada para incluir software malicioso.

Em todas as situações, o ataque consistiu em atacar páginas legítimas e utilizá-las para distribuir malware. Mas os jogos não são a única ameaça online para as crianças. Os sites com materiais educativos e de entretenimento para crianças também foram utilizados para atrais os menores.

A BitDefender aconselha, para proteger as crianças, os seguintes passos:

– Nunca deixe o seu filho utilizar o computador com um utilizador que tenha autorizações de administrador. Em vez disso, crie uma conta limitada com o seu nome. Isto evitará que instale aplicações, modifique a configuração crítica do sistema ou apague arquivos do sistema que podem danificar o equipamento.

– Use um antivírus: alguns exemplares de malware foram desenhados para funcionar inclusive nas contas limitadas. Nesta situação, um bom antivírus pode ser a última linha de defesa.

– Use um controlo parental: nem todos os sites para crianças que foram hackeados levam a malware. Às vezes, os ciberdelinquentes redirigem as crianças a pornografia ou conteúdos violentos.
– Nunca deixe o seu filho utilizar o computador com um utilizador que tenha autorizações de administrador. Em vez disso, crie uma conta limitada com o seu nome. Isto evitará que instale aplicações, modifique a configuração crítica do sistema ou apague arquivos do sistema que podem danificar o equipamento.

– Use um antivírus: alguns exemplares de malware foram desenhados para funcionar inclusive nas contas limitadas. Nesta situação, um bom antivírus pode ser a última linha de defesa.

– Use um controlo parental: nem todos os sites para crianças que foram hackeados levam a malware. Às vezes, os ciberdelinquentes redirigem as crianças a pornografia ou conteúdos violentos. 

Mais partilhadas da semana

Subir