Sociedade

Piloto e assistente de bordo da TAP condenados por insultos no Facebook

tap_1O caso de insultos entre dois funcionários da TAP a um comandante, através do Facebook, foi parar a tribunal e já tem sentença: uma multa de 10 mil euros. A história envolve um piloto da transportadora aérea, uma assistente de bordo, um voo em executiva para amigos do comandante e alguns palavrões…

Um piloto e uma assistente de bordo da TAP foram condenados a uma multa pesada, por difamação, num caso que começou com um episódio numa viagem de avião, seguiu para o Facebook e terminou na barra dos tribunais, com sentença pesada: 10 mil euros de multa.

A história começou num voo entre Maputo e Lisboa, segundo conta o Correio da Manhã. Um piloto que não estava de serviço não gostou de ter sido relegado para os últimos lugares do avião, alegadamente por não haver vagas na classe executiva.

O episódio seguinte deu-se no Facebook, com uma frase irónica: “Foi tão bom ter viajado na última fila. Eu, a minha mulher e a mulher do copiloto, apesar de haver lugares em executiva”. E esta frase suscitou comentários e os insultos.

O comandante e o copiloto foram acusados de colocar “dois labregos” nos lugares de executiva, pessoas que “usavam camisa desapertada e fio” ao pescoço. Mas estas foram as palavras menos agressivas, algumas dos quais não devem ser reproduzidas, num diálogo entre o piloto e a assistente de bordo, que tem data de 2009, entre os dias 21 e 23.

Os visados nos insultos não reagiram no Facebook, mas o comandante terá enviado um email ao autor da frase no mural, a justificar o facto da distribuição de lugares nesse voo entre Maputo e Lisboa. O tribunal foi a fase seguinte do processo. E o tribunal foi implacável: 10 mil euros de multa pelo crime de difamação.

Mais partilhadas da semana

Subir