Desporto

Pedro Proença: “Gostava que respondessem pelos objetivos que não alcançam”

arbitro_pedro_proenca_2Árbitro português responde às críticas vindas da Luz, sem nunca no entanto referir o nome dos encarnados. Pedro Proença diz ainda que não ficou surpreendido pelos elogios de Luisão.

Pedro Proença, árbitro internacional português que dirigiu esta época a final da Liga dos Campeões e a do Euro’2012, aproveitou a oportunidade da Rádio Renascença para deixar respostas aos críticos.

Sem nunca referir o nome do Benfica, certo é que as palavras do juiz de Lisboa parecem ter como alvo os responsáveis encarnados. Recorde-se que Luís Filipe Vieira ‘pediu’ num passado recente para que Pedro Proença não voltasse a arbitrar jogos do Benfica.

Aos 41 anos e já com muitos ao serviço da arbitragem, Proença revela um dos seus ‘desejos’: “Gostava que respondessem sobre os objetivos que não alcançam ou sobre os orçamentos megalómanos que fazem. Não dou muito ou pouco importância às críticas, mas gostava que as pessoas vissem os atos de gestão da sua própria casa”, refere.

Em forma de análise da época que terminou há pouco, Proença toca no tema dos portugueses fora de portas: “As pessoas têm outra opinião quando arbitramos em Portugal mas desempenhamos o nosso trabalho da mesma forma que o fazemos lá fora”, sublinha.

Nas mesmas declarações à RR, Pedro Proença aborda ainda os elogios do capitão do Benfica, Luisão, que lhe deu os parabéns após a final do Euro’2012, através da rede social Twitter: “É um grande profissional e tenho muito respeito pela pessoa que é. Não me surpreendeu os elogios”, confessa.

Pedro Proença teve esta época a melhor fase da sua carreira. A 19 de maio, na Allianz Arena, em Munique, dirigiu pela primeira vez uma final da Liga dos Campeões, entre Bayern de Munique e Chelsea, ganha pelos ‘blues’. Cerca de dois meses depois foi o escolhido pela UEFA para arbitrar a final do Euro’2012, entre Espanha e Itália, ganha por espanhóis.

Mais partilhadas da semana

Subir