Política

Passos Coelho montou sede de campanha em espaço da Universidade Lusófona nas eleições do PSD

passoscoelho10Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, criou a sua sede de campanha num espaço cedido pela Universidade Lusófona, em 2010, quando disputava a liderança do PSD, nas eleições internas, contra Aguiar-Branco e Paulo Rangel. As instalações da Lusófona foram cedidas a título gracioso, revela o Correio da Manhã. Também em 2008, quando Relvas fazia parte da Comissão Política, aquela universidade terá ‘emprestado’ instalações a Passos.

Segundo este jornal, o agora primeiro-ministro recebeu uma ajuda dos proprietários da Universidade Lusófona, quando em 2010 disputava a liderança do Partido Social Democrata. Todo o primeiro andar do edifício Franjinhas, localizado em Lisboa, na Rua Braamcamp, foi cedido gratuitamente ao então candidato do PSD, que disputada o lugar de líder do partido, tendo como adversários José Pedro Aguiar-Branco e Paulo Rangel.

Aquele espaço pertence à empresa Luso-Formatar, propriedade da Universidade Lusófona, de acordo com o mesmo jornal. Pedro Passos Coelho foi autorizado a utilizar o espaço, para poder montar a sua sede de campanha, naquele ano.

Aquele edifício é usado pela Lusófona para ministrar formação profissional, mas terá abdicado do espaço para que o agora primeiro-ministro pudesse realizar as ações de campanha, que viria a catapultá-lo para líder do PSD, nas eleições internas dos sociais-democratas.

O Correio da Manhã associa este apoio da Universidade Lusófona ao caso da licenciatura de Miguel Relvas, ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, concluída em apenas um ano, depois de uma atribuição de créditos muito generosa por parte daquela universidade.

De acordo com declarações de Paulo Coelho, um dos responsáveis pela equipa que trabalhou na campanha de Passos Coelho, em 2010, a sede de campanha foi cedida por intermédio de uma deputada do PSD, Conceição Caldeira, que era membro da administração da empresa Luso-Formatar, sendo que não existia qualquer ligação entre Passos e a Universidade Lusófona.

Ainda segundo o Correio da Manhã, já em 2008 Passos Coelho fora ajudado pela Lusófona. A sede de campanha montada na Avenida Marechal Craveiro Lopes, em Lisboa, pertence a duas entidades: a Avis e pela Universidade Lusófona. O espaço foi cedido pela empresa Azinor ao agora líder do PSD e primeiro-ministro.

A proximidade entre Passos e a Lusófona não é o único ponto a destacar desta história. Também Miguel Relvas estabeleceu relações de proximidade com os proprietários da universidade, já que era coordenador da Comissão Política de Pedro Passos Coelho.

Mais partilhadas da semana

Subir