Tecnologia

Partes com 200 quilos de sonda russa vão cair na Terra na próxima semana

sonda_russa_1A situação já não é nova. Porém, desta vez é com um aparelho russo, que não conseguiu concluir a sua missão de chegar a uma lua do planeta Marte. Locais dos embates não são para já conhecidos.

Há outra sonda em rota de colisão com o planeta Terra. Depois do famoso satélite UARS ter-se afundado no Oceano Pacífico, em novembro passado, desta vez é a sonda russa Phobos-Grunt que vai cair no solo.

A informação é avançada pela Agência Espacial Europeia (ESA), mas para já não são ainda conhecidos os locais onde os fragmentos poderão cair. A razão é simples, a velocidade que a sonda orbita actualmente é de mais de 28 mil quilómetros por hora e dá uma volta completa ao nosso planeta em apenas uma hora e meia. Nestas condições, é impossível para já fazer qualquer previsão.

O que se sabe é que formará uma bola de fogo de mais de 13 toneladas e cerca de 20 a 30 fragmentos deverão resistir à entrada na atmosfera, cada um pesando em média 200 quilos.

A Phobos-Grunt, enviada para o espaço pela Roscosmos, Agência Espacial russa, é a maior sonda produzida naquele país e tinha como missão estudar a superfície de uma lua em volta do planeta Marte. Um erro no lançamento do aparelho, em novembro último, tornou a missão num fracasso.

A queda dos fragmentos da Phobos-Grunt está prevista para dia 14 ou 15 de Janeiro.

Esta não é a primeira vez que um aparelho deste tipo regressa novamente à Terra de forma imprevisível. Em setembro passado, o mundo assistiu com particular interesse à queda do UARS, um satélite da NASA no espaço há 20 anos, que caiu no Oceano Pacífico. Saiba mais aqui.

Mais partilhadas da semana

Subir