O caminho espiritual que uns abraçam que outros fogem

Para aqueles que o adoptaram como trajectória de vida, talvez porque inconscientemente sentissem que por aí a Paz seria rapidamente alcançável, inicialmente irão confrontar-se com uma quantidade de informação aparentemente fácil de aplicar. E dependendo da necessidade de cada um em querer evoluir para a tão desejada Paz irão mais e mais longe na procura de ensinamentos cada vez mais adequados à sua perspectiva. E quanto mais bagagem abarcarem mais provações lhes serão apresentadas para que a aprendizagem seja efectivada.

E é aqui que me sinto impulsionada em mais uma vez transparecer a minha experiência nesta caminhada que iniciei com consciência à apenas 3 anos atrás. Tendo em conta uma das particularidades da minha personalidade, a curiosidade, não descansei até conseguir respostas para todas as minhas dúvidas acerca do que tudo isto é. Uma parafernália de cenários, instalados dentro de um planeta, onde a mescla de contrastes é absolutamente enlouquecedora. Esta minha busca consciente, focada neste ponto escondia o que inconscientemente estava instalado dentro de mim, estudava para me enriquecer cada vez com mais conhecimento para entender o porquê de determinados comportamentos humanos, observava o que me rodeava. Atenta às politiquices, aos dramas sociais, às guerras sem explicação, à constituição do Universo e tudo o mais. Paralelamente ao estudo praticava exercícios meditativos e purificadores do meu interior. Sentia-me bem, pacificamente melhor, observando algumas perturbações na minha consciência mas sem me deixar envolver profundamente. E assim continuava, aplicando os ensinamentos com a entrega a que me permitia. Mas como se costuma dizer, grão a grão enche a galinha o papo. Até que chegou o momento da verdadeira explosão, de tanto negligenciar o que cá dentro existia, o não querer aceitar profundamente que também eu era constituída por mágoas, irritação, ciúme, cobranças, apegos, medos e por aí fora, fui enterrando cada vez mais estas energias, tentando esconder de mim própria que também eu era humana e não um Ser Imaculado em que esse tipo de incómodos não faziam parte de mim.

Estava a criar ilusoriamente um Belo Ser, porque com tanto estudo não quis acreditar que todas aquelas negatividades que povoam a nossa raça pudessem fazer parte da minha Essência. Ou melhor, tinha a noção que elas existiam em mim mas que eram superficiais e quase imperceptíveis. Até que comecei a espelhar-me com total entrega naquilo que me ia sendo colocado à frente. E é aqui que começou o meu verdadeiro caminho espiritual, o momento em que me deixo ser quem sou sem vergonha de sentir ciúme ou apego por aquele que Amo, sem sentir remorsos por todas as cobranças que fiz durante a vida, sem culpa por todas as irritações que tive, principalmente com os meus filhos. Agora sim, ao aceitar-me posso finalmente transformar-me nesse Belo

Ser que criei na minha fábrica do Amor. Tenho dias em que o confronto é mais doloroso porque me são apresentadas as provas que medem o grau da minha purificação e até estar tudo liberto sei que vai doer que o meu coração vai apertar pelo impacto da aprendizagem.

Quanto mais me Entregar para alcançar a Paz mais o meu Ego vai sendo apaziguado dando lugar ao Amor que tudo pode, que tudo é.

Que o reino da Paz renasça em todos nós…


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir