Benfica

“Foi no Jamor que o lagarto ardeu”, cantam adeptos do Benfica, recordando o caso do ‘very-light’

As polémicas do futebol continuam musicadas. Depois dos Super Dragões terem evocado o avião da Chapecoense, uma claque do Benfica cantou “Foi no Jamor que o lagarto ardeu”, numa referência ao adepto do Sporting morto por um ‘very-light’ no Estádio Nacional, em 1996.

O incidente ocorreu no sábado, quando Benfica e Sporting se defrontaram em novo clássico, agora a contar para o Nacional de andebol.

“Foi no Jamor que o lagarto ardeu”, entoaram alguns adeptos do Benfica, ao mesmo tempo que outros entoavam assobios a imitar o som de um ‘very-light’.

Ao contrário do que aconteceu com o FC Porto, que condenou de imediato os cânticos do “Quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica”, o clube da Luz não reagiu à atitude dos adeptos, o que levou Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, a publicar um post contundente no Facebook contra as “virgens ofendidas” (ou seja, o Benfica).

“Onde estão agora as virgens ofendidas que rasgaram as vestes com o mau gosto dos Super Dragões? Onde está a comunicação social que se apressou a fazer alarido quando o visado era o Benfica? Onde está a Direção do clube perante tamanha indignidade e falta de decência? Onde está a justiça desportiva e o Ministério Público? E depois ofendem-se quando se denuncia a subserviência”, escreveu Nuno Saraiva.


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir
error: