Tecnologia

Nicolas Steno: Google recorda o pioneiro que trocou a ciência pela religião

nicolas_stenoNicolas Steno é alvo de uma homenagem do Google, através de um doodle que assinala o 374.º ano desde o nascimento do cientista e investigador dinamarquês. Steno, que nasceu em Copenhaga a 11 de janeiro de 1638, foi pioneiro na anatomia e na geologia.

O bispo católico dinamarquês Nicolas Steno – beatificado pelo Papa João Paulo II, em 1988 – merece hoje uma homenagem mundial com um doodle, no maior motor de busca do mundo, em memória da sua obra na ciência e religião.

Na sua biografia no Wikipédia, destaca-se a “audácia” de Steno, “cientista pioneiro nos campos da anatomia e da geologia”, que colocou em causa doutrinas tradicionalmente aceites, dando prioridade aos seus ideais e convicções.

Da vasta obra que levou a cabo, destacam-se avanços nas áreas da anatomia. Nicolas Steno dedicou-se ao funcionamento dos músculos do corpo humano e da contração muscular. Recorreu a uma ciência (a geometria) para provar que o músculo contraído nunca altera o seu volume – apenas a forma.

A partir da análise a um tubarão, o dinamarquês Steno caminhou no sentido de estudos geológicos e analisou corpos sólidos no interior de outros sólidos: desde fósseis a minerais, passando por cristais, ou camadas de rocha, entre outros. E deixa uma marca de pioneirismo ao identificar fósseis como pertencentes a organismos que já tiveram vida.

O longo da sua vida dedicou-se à religião, convertendo-se ao catolicismo, depois de criado na fé luterana. Defendia que a Igreja Católica é a verdadeira Igreja, até que se converteu. Mais tarde, colocou de lado os estudos científicos e foi ordenado bispo.

Nicolas Steno nasceu em Copenhaga no dia 11 de janeiro de 1638 e viria a falecer em Schwerin, na Alemanha, a 25 de novembro de 1686, depois de passar por diversas cidades europeias em missão. Morreu em profundo sofrimento.

Mais partilhadas da semana

Subir