Nas Notícias

Negrão furioso com “atitude condenável” de dois deputados do PSD

Fernando Negrão assumiu que esperava pelo menos 37 votos, mas só 35 votaram a favor do novo líder parlamentar do PSD. “É perfeitamente condenável a sua atitude”, afirmou Negrão, sem identificar os deputados em causa.

O resultado da votação tornou evidente que “há um problema de natureza ética” entre os parlamentares sociais-democratas. Somando a nova direção da bancada, os coordenadores das comissões e os dois dirigentes nacionais, seriam 37 votos ‘certos’ para o único candidato à sucessão de Hugo Soares.

O próprio candidato assumiu que esperava “entre 35 a 40”, fazendo as contas aos 37 referidos.

Mas Fernando Negrão só teve 35 votos a favor, o que significa que dois deputados não cumpriram a esperada obrigação.

“É perfeitamente condenável a sua atitude”, frisou.

Os resultados mostraram que houve mais sociais-democratas a votar ‘contra’ Negrão (32 votos brancos e 21 nulos) do que os 35 a favor. Mas o candidato eleito tem outra leitura.

“Eu junto os brancos com os favoráveis”, explicou, salientando o contexto de só haver uma candidatura.

“Se tivesse só um voto, eu assumiria” a liderança da bancada parlamentar, garantiu: “Acho que tenho legitimidade, porque 35 favoráveis e 32 em branco faz 67”.

Fernando Negrão imputou aos deputados a “conclusão” de estar em minoria entre os deputados do PSD, uma vez que não conseguiu os votos de metade dos 89 eleitos.

“Não considero que saia enfraquecido, sei das dificuldades”, insistiu, justificando o fraco resultado com a proximidade das eleições ao congresso do PSD.

“Há sempre pessoas que ficam descontentes com as mudanças”, considerou: “Os momentos de transformação são sempre muito difíceis e nos partidos são particularmente difíceis”.

Em conclusão, Fernando Negrão negou ter sentido uma “rebelião” dos colegas sociais-democratas, prometendo “assumir as responsabilidades” como presidente da bancada parlamentar do PSD.

Mais partilhadas da semana

Subir