Mundo

NATO apoia ataque conjunto dos EUA e aliados na Síria

O secretario geral da NATO, Jens Stoltenberg, apoiou hoje o ataque conjunto dos EUA, Reino Unido e França a instalações de armas químicas na Síria.

Stoltenber considerou que tal “reduzirá a capacidade do regime” de Asad de voltar a atacar a população com este tipo de armas.

“A NATO condenou sistematicamente o uso continuado por parte da Síria de armas químicas como uma clara violação das normas e acordos internacionais”, afirma o secretário geral numa declaração publicada na página da Internet da NATO.

Sublinha que o uso de armas químicas “é inaceitável” e os seus responsáveis devem ser responsabilizados por isso.

A organização considera que a utilização deste tipo de armas é uma ameaça à paz e segurança internacionais e que “é essencial proteger a Convenção sobre Armas Químicas”, o que exige “uma resposta coletiva por parte da comunidade internacional”, acrescentou.

EUA, França e Reino Unido lançaram hoje um ataque contra as “capacidades de armamento químico” do governo sírio de Bashar Al Asad, em resposta a um alegado ataque químico.

O presidente dos EUA, Donald Trump, explicou que a ofensiva teve como objetivo “estabelecer um forte elemento de persuasão contra a produção, propagação e uso de armas químicas” por parte de Asad.

A ação combinou ataques aéreos e mísseis projetados desde navios no Mediterrâneo, segundo informação do Pentágono.

Ver mais

Mais partilhadas da semana

Subir