Nas Notícias

“Não há comparação com as opções do anterior Governo”, garante João Oliveira

O PCP tem criticado o executivo do PS pelas “opções erradas” no uso da disponibilidade orçamental, mas deixou um aviso à direita. “Não há comparação nenhuma com as opções que o anterior Governo fez”, afirmou João Oliveira.

Em entrevista ao Eco, o deputado comunista insinuou que é preferível manter a Geringonça, apesar do recente aumento do tom das críticas por parte do PCP, do que ter a direita de volta ao poder.

Questionado se a equipa de António Costa estava “a ir para além da troika”, expressão celebrizada por Passos Coelho (à data primeiro-ministro), João Oliveira salientou que “não se pode” sequer comparar tais casos.

“Não há comparação nenhuma com as opções que o anterior Governo fez, de cortar direitos, condições de vida e de trabalho”, afirmou João Oliveira.

“Estamos hoje num quadro em que os salários foram devolvidos por inteiro, as pensões aumentadas, o abono de família devolvido, em que os manuais estão a ser distribuídos de forma gratuita”.

A oposição comunista tem aumentado porque, “perante uma disponibilidade orçamental”, o Governo do PS usou “essa margem para o défice”, ao invés de resolver “mais problemas” sociais.

“Essa é uma opção errada e que consideramos que o Governo não devia fazer”, reiterou o deputado.

Na entrevista, João Oliveira assegurou que os comunistas vão apoiar o executivo de António Costa até ao final da legislatura, procurando assumir-se como “decisivo e central” na correlação de forças à esquerda.

“Com mais força teríamos condições para influenciar ainda mais”, concluiu.

Ver mais

Mais partilhadas da semana

Subir