Sociedade

Mulher abandona Duarte Lima e vai avançar com processo de divórcio

duarte_lima2A mulher de Duarte Lima, Paula Gonçalves, abandonou a casa onde residia com o marido, na Avenida Visconde Valbom, há cerca de um mês, ainda antes da detenção do advogado. Paula Gonçalves já avançou com o processo de divórcio, segundo garante o Correio da Manhã.

Paula Gonçalves deixou o apartamento onde morava com Duarte Lima, antes da detenção do suspeito de fraude, na compra e venda de terrenos, e que responde no Brasil pelo crime de Rosalina Ribeiro. A mulher de Duarte Lima já deu início ao processo de divórcio, assegura aquele jornal, que se baseia num depoimento de uma pessoa que está próxima do casal.

O Correio da Manhã cita uma fonte que garante que Paula Gonçalves não vai visitar o marido nem sequer tenciona manter qualquer tipo de contacto com Duarte Lima. Esta informação vai de encontro a um facto: a única visita que Duarte Lima recebeu, desde que está detido, foi a do filho, Pedro Lima, também acusado da burla que envolve o BPN.

Duarte Lima e Paula Gonçalves estão casados há 11 anos e viviam juntos até meados de outubro, mas com um relacionamento frio, desde um alegado envolvimento entre o advogado e a sua secretária. A detenção e a acusação da morte de Rosalina Ribeiro precipitaram o divórcio.

Recorde-se que o advogado e antigo deputado está detido, devido a um processo de fraude e crime económico, relativo a compras e vendas de terrenos na zona de Oeiras. Estes negócios envolvem também Pedro Lima e Vitor Raposo, mas não Paula Gonçalves, que não tem qualquer envolvimento nos casos.

A fraude levou a que alguns proprietários de terrenos vendidos tivessem de lidar com dívidas às Finanças, devido a mais-valias. A intimação às famílias, para pagar as mais-valias, permitiu perceber aos proprietários que houve duplas escrituras e que o real valor da venda do terreno era superior.

Duarte Lima enfrenta também outro processo de crime, no caso-Rosalina Ribeiro. O Ministério Público do Rio de Janeiro acredita que o advogado é o culpado da morte da companheira de Tomé Feteira, cuja herança gerou uma luta nos tribunais. Outro processo que espera o advogado poderá ser a separação da sua mulher. O divórcio vai avançar.

Mais partilhadas da semana

Subir