Nas Notícias

Montenegro marca posição com polémica do secretário-geral do PSD

Luís Montenegro não desperdiçou a polémica sobre o currículo de Feliciano Barreiras Duarte, secretário-geral do PSD, para marcar posição tendo como fundo a hipótese de concorrer à liderança do partido em 2019.

O ex-líder parlamentar é crítico assumido de Rui Rio e, embora descartando para já concorrer contra o atual presidente laranja, desde o último congresso que tem feito intervenções a preparar o terreno para a eventual candidatura.

Hoje, no comentário político que faz habitualmente para a TSF, Montenegro considerou que a polémica em torno do currículo de Feliciano Barreiras Duarte é também prejudicial para a imagem do PSD, culpando a direção de Rui Rio por não esclarecer devidamente o caso.

“Não há dúvida de que isto cria ruído à volta do trabalho político do líder e da afirmação da liderança do PSD”, sustentou.

Luís Montenegro insistiu que o PSD tem de ultrapassar “rapidamente” esta polémica, “para que se possa afirmar na base do projeto para o País”.

No mesmo programa, o presidente do PS, Carlos César, também não desperdiçou a oportunidade de aproveitar o caso que embaraça o PSD.

“Não deixa de ser incomodativo para o PSD a situação que se está a viver. Semana após semana, o líder do PSD vai escondendo num baú um vice-presidente da Comissão Política, porque os casos vão-se sucedendo”, comentou Carlos César.

O socialista reforçou que o caso em torno de Feliciano Barreiras Duarte é mais um a abalar “a suposta imagem de diferenciação e intocabilidade que a nova liderança do PSD pretendia imprimir”.

Mais partilhadas da semana

Subir