Momento de “Purificação” num concerto de Rock

Ao percorrer os caminhos que me levam ao profundo conhecimento de quem sou, encontro tudo aquilo que todos Somos… e é aqui que se dá a fusão entre mim, ilusoriamente isolada, com Tudo. Só me encontrando numa solidão inexistente é que tudo encontro na mais simples esfera que é o Amor, acolhendo o que é, tal e qual como é…

Estou Eternamente Grata pelo meu caminhar, que tantas vezes doeu, como se objectos pontiagudos estivessem a perfurar toda a minha Essência para que agora pudesse sentir a única verdade, tudo está unido pela vibração.

A beleza da vida só é realmente sentida quando nos dispomos a esvaziar todo e qualquer sentido físico, pois através destes comandos lançamos ingredientes para desencadear o pensamento. Dou como exemplo ilustrativo, de como os sentidos nos podem afectar, a minha recente ida a um concerto de um grupo de música que foi minha companhia durante a adolescência, o qual nunca mais tive a oportunidade de ouvir e que foi o cenário para mais uma rica constatação. Foi fantástico poder observar a forma como a energia deste grupo ainda se encontrava gravada em mim levando-me a viajar por momentos passados onde emoções de saudade, tristeza e nostalgia relativos a uma fase da vida em que tudo é intensamente vivido ainda pairavam no que Sou. E aqui pude examinar a rapidez de como todo este mecanismo se desenvolve. O “milagre” de estar consciente fez com que não me deixasse perturbar mas sim de sorrir e agradecer pela oportunidade desta lição que deu lugar à eliminação de todo o tipo de energias que foram despertadas por este momento, para que não estejam inconscientemente a desequilibrar o pretendido estado de Paz…

Constatando com mais esta experiência que é o pensamento que define a separação de todas as coisas, é ele o responsável pelas atrocidades mentais e psicológicas que depositamos na vida. Pois se eu deixasse desenvolver todas as emoções inerentes ao meu passado, reactivado por aquele momento, iria desencadear uma série de vibrações pouco produtivas tocando em tudo e todos que me rodeiam… A profunda observação a que me proponho, mais uma vez me fez constatar que sempre que ajo com base no pensamento estou a limitar a capacidade extraordinária de deixar que aquilo que não consigo vislumbrar se realize, bloqueando a Ordem Divina que tudo define… Mais ainda, sempre que dou espaço à mente pensante para actuar, automaticamente a vibração de Amor é anulada… Nesta altura coloco em risco a total Presença e o sentido de União com o Todo…

Então, sabiamente pude usufruir deste concerto de uma forma completamente inovadora, pelo controle da vibração, não deixando que qualquer registo fosse impresso em mim… Se o mesmo tipo de energia atrai o mesmo tipo, o que comummente acontece é que se eu não estivesse consciente de como tudo se processa saía deste concerto com mais carga energética de saudade, tristeza e por aí fora preenchendo-me de tudo aquilo que leva ao sofrimento e à nostalgia, pois teria fixado o pensamento no passado… e assim, saí preenchida unicamente pela alegria de poder ter usufruído de um fantástico momento de purificação dando lugar, da minha parte, a um bem-estar grupal…

Nunca conseguiremos Amar quando damos asas ao pensamento criativo… Se pararmos para analisar onde é que este mecanismo já nos levou, derivado da desorientação que ele origina, encontramos a mentira, o descontentamento, a ilusão e consequente desilusão, o desespero, a ansiedade… dando lugar a uma mente cansada que se reflecte no envelhecimento do corpo derivado dos mirabolantes cenários originados pelo desenho orquestrado pelo pensamento que deu lugar a telas criadas pelo ego. E por aí vemos rostos sem luz, olhares ansiosos e tristes, comportamentos carentes e de cobrança.

Serenar a mente usando-a sabiamente para simples observação daquilo que identificamos ser apenas um pensamento, é propagar o Amor e não intoxicar o Planeta.


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir
error: