Política

Ministro da Economia acusado pela oposição de se comportar como a “Alice no País das Maravilhas”

alvaro_santos_pereira2“Espelho meu, espelho meu. Há algum ministro melhor do que eu?”. Foi desta forma alegórica que o deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, se dirigiu a Álvaro Santos Pereira, durante a comissão de Economia que teve lugar no parlamento. Em causa, estavam as políticas de emprego e crescimento do Governo.

O deputado bloquista não foi, porém, o único a utilizar a alegoria das histórias de contos de fadas para representar a atuação do ministro e das suas políticas. Paulo Figueiredo, deputado do Partido Socialista, acusou Álvaro Santos Pereira de ser a “Alice no País das Maravilhas”, de “apresentar anúncios atrás de anúncios” e de viver alheado “dos resultados absolutamente negativos da execução orçamental”.

Já Paulo Campos, também deputado do PS, considerou Santos Pereira “o ministro do desemprego e da pobreza”, acusando-o ainda de “matar o setor da construção e imobiliário com mais de 400 novos desempregados por dia”.

Do lado do PCP, o deputado Agostinho Lopes também se centrou nas políticas do ministro para o setor da construção, questionando-o se é opção do governo “a aposta no saneamento do setor”, que tem, atualmente, um peso de 18 por cento do PIB.

Durante o debate na comissão de Economia, realizado a pedido do PCP, a oposição foi ainda unânime em considerar que foi a política económica seguida por este governo que conduziu ao aumento do desemprego e ao crescimento das falências das empresas.

Perante as críticas dos deputados da oposição, Álvaro Santos Pereira justificou a situação atual do país com o “fracasso” do passado socialista que “fomentou a maior dívida pública da nossa história”. Mostrou-se ainda satisfeito com “a coragem, desde o início, [do Governo] contar a verdade aos portugueses”.

Mais partilhadas da semana

Subir