Metamorfose humana

É urgente ser sábio, saber voltar ao coração sempre que de lá saímos… A vida é feita de cruzamentos onde nem sempre o tráfego é fluído…

O que mais tenho observado é que grande parte de nós não sabe o quer e desta forma procura no outro a sua forma de viver começando assim o entupimento nas artérias. Assumirmos uma veste ilusória que não faz parte da indumentária da nossa Essência faz de nós protótipos uns dos outros… E é precisamente aqui que se dá a infelicidade que contagia o Todo. Com tantos exemplos de vida que nos rodeiam nem sempre é fácil encontrarmos a nossa própria respiração… Respiramos no colectivo… E quando percebemos que estamos a sufocar desejamos a libertação… Ser livre é sermos nós próprios despidos de formatações há muito incrustadas, devido a todo o trajecto de aprendizagem da nossa Alma…. Vejo tantas pessoas a quererem desamarrar-se das cordas que as aprisionam, mas o medo com que o fazem não beneficia a saída do casulo… Para se dar a metamorfose é preciso amadurecer nas várias fases que nela consistem… O processo não é significativamente bonito, por vezes é bastante doloroso, tendo em conta que muitas feridas abertas provocadas pela pressão com que os nós das cordas foram sendo apertados causam dor quando são finalmente desatados.

Há sangue à superfície mas agora sem pressão… Terminada a etapa de cicatrização temos preparada a base para dar início ao belo crescimento das fortes asas que nos darão suporte sempre que precisarmos de voltar ao coração. Desta forma estamos totalmente livres para podermos viver em felicidade na escola humana, actuando nos mais diversificados cenários, usufruindo de tudo mas sempre prontos para levantar voo quando o tráfego estiver cruzado… Já não sofreremos porque desta vez a metamorfose foi detalhadamente programada para usufruir-mos da beleza da vida.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir