Apresentações/Novidades

Mégane R.S. pensado para a eficácia

Que o Mégane RS é a mais desportiva das versões do modelo da Renault já sabíamos, mas o que faz desejá-la é a competência na estrada e inovação tecnológica que integra.

A vontade da marca francesa é que este Renault seja mesmo uma referência no seu segmento de mercado, aliando a paixão pela performance a sensações únicas, só possíveis com uma motorização poderosa e um chassis preparado para as mais altas performances, pois destina-se a um utilizador exigente.

O motor 1,8 litros turbo de última geração preenche parte dos requisitos, com 280 cv conseguidos graças ao desenvolvimento feito pelos engenheros de Renault Sport Cars e da Renault Sport Racing. Um conhecimento vindo da competição que também foi aplicado a outras áreas do Mégane RS, que vai estar disponível em quatro variantes, servidas por duas caixas de velocidades diferentes – manuial ou EDC – e de chassis – Sport ou Cup.

Mas este modelo vai oferecer muito mais do que a performance, vai incluir alguns equipamento tecnológico de ponta, como o R.S. Vision, o Multi-Sense e o R.S. Monitor. O 4Control será um equipamento único neste segmento, permitindo melhorar a agilidade nas curvas mais apertadas e a estabilidade nas curvas rápidas. Ganha a experiência a bordo e a manobrabilidade.

Como funciona o sistema? Bem, a baixa velocidade as rodas traseiras viram no sentido inverso das rodas dianteiras até um limite de 2,7 graus. O que é particularmente importante em troços de estrada sinuosos, com um comportamento mais eficaz devido a uma direção 20% mais direto. A alta velocidade o 4Control faz com que as rodas dianteiras e traseiras virem no mesmo sentido, no limite de um grau nas rodas traseiras. Há uma boa regulação do trem traseiro, permitindo melhorar a estabilidade e proporcionar uma condução que tanto pode ser tranquila como desportiva.

O Mégane R.S. benedicia de melhorias ao nível das ligações ao solo, que foram pensadas em função das características do automóvel, à tração dianteira e à elevada potência, sobretudo quando é dotado de diferencial autoblocante. O trem dianteiro foi totalmente redesenhado com o objetivo de o adaptar à nova geometria das suspensões, à sua rigidez e às rodas de 19 polegadas. Os dois chassis disponíveis distinguem-se pelas regulações específicas das suspensões, sendo que no Sport é oferecida polivalência em todos os tipos de piso, nomeadamente os mais degradados, com amortecedores novos e sistema eletrónico de repartição de binário – algo que atua independemente nos travões das rodas motrizes, limitando a subviragem e otimizando a motricidade à saída da curva.

O novo diferencial autoblocante mecânico Torsen enriquece o chassis Cup, que permite um amortecimento 10% mais rígido. Juntamente com este chassis podem vir discos de travão de alumínio e ferro fundado, com diâmetros maiores (335 mm à frente).

As suspensões são também outra novidade no Mégane R.S., pois inclui batentes hidráulicos de compressão. Uma tecnologia inspirada nos ralis, que consiste em integrar um amortecedor dentro de um amortecedor. Ao aproximar-se do fim do curso, um pistão secundário amortece o movimento da roda antes do batente de choque. Ao dissipar a energia sem a ‘reenviar’ à roda – como sucederia numa solução convencional – os batentes hidráulicos de compressão permitem evitar os efeitos de repercussão, permitindo um melhor controlo do contacto entre o pneu e o solo.

Mais partilhadas da semana

Subir