Nacional

Markl arrasa “justiça social da internet”

A polémica com a H&M serviu de pretexto a Nuno Markl para incitar à reflexão. Quantas das polémicas que surgem nas redes sociais não são provocadas apenas por causa de “uma sede ansiosa de fazer justiça”?

O radialista, que em tempos chegou a encerrar várias contas nas redes sociais, deu conta do desagrado com a viralização do caso da camisola da H&M.

“No Facebook vimos racismo porque o temos. Mesmo não tendo”, explicou.

“Fizemos rigorosamente o mesmo raciocínio imediato que qualquer besta neonazi faria, mesmo que – no nosso caso – com a melhor das intenções. Mas está cá o preconceito, a culpa, e uma sede ansiosa de fazer justiça que nos apazigue a alma”.

Lembrando que “a mãe do miúdo estava lá a acompanhar a sessão fotográfica e não viu racismo”, Nuno Markl apelou à ponderação antes de se deitarem mais achas para as fogueiras das redes sociais.

“Não custa sonhar com um dia em que um miúdo pode usar uma camisola que diz ‘o macaco mais fixe da selva’ só porque é fã de macacos, e com isso não correr o risco nem de ser insultado, nem de estar na berlinda do mais recente furacão de justiça social da internet”.

Mais partilhadas da semana

Subir