Desporto

Marítimo imperial afasta Benfica da Taça de Portugal (vídeo)

benfica_maritimo_1Mudanças na equipa de Jorge Jesus e uma noite de sonho de Roberto Souza cortaram pela raiz o objetivo número dois dos encarnados em marcarem presença no Jamor.

O Benfica está fora da Taça de Portugal. Depois de FC Porto, o segundo grande caiu aos pés de um Marítimo perfeito que soube aproveitar as fraquezas de um 11 demasiado mexido por Jorge Jesus.

Na baliza a mudança era esperada. Eduardo calçou as luvas e esteve à altura, não foi por aqui que o Benfica perdeu o jogo. Na defesa sim. Se Jardel conseguiu bem esquecer a ausência de Luisão, já Ruben Amorim demonstrou porque não é tantas vezes chamado como queria. Na esquerda Emerson, nervoso e trapalhão, como costume, e na frente, ou perto dela, um Benfica sem criatividade, faltava-lhe o melhor 10.

No meio campo Jesus prescindiu dos dois melhores em campo frente ao Sporting. Javi Garcia e Aimar começaram o jogo no banco. Matic e Saviola jogaram de início. E foi aqui que o Benfica começou a perder o jogo.

Pedro Martins tornou o meio campo uma autêntica fortaleza insular. Olberdam, Roberto Souza e Rafael Miranda chegaram e sobravam para um Matic que não é Javi Garcia e para um Saviola que não é nem de perto nem de longe um Aimar, na melhor forma de sempre desde que chegou à Luz. Na frente, um trio fantástico que continuará certamente a dar cartas no nosso campeonato. Baba, Sami e Danilo Dias, três flechas em constante movimento trocavam os olhos à defensiva encarnada.

Sem grande merecimento, o Benfica chegou ao golo aos 25 minutos, num lance onde Nolito se deixa claramente cair. Ninguém parece tocar no espanhol. Um a zero para as águias. Penálti convertido por Saviola. Assim foi a história da primeira parte.

No segundo tempo não se esperava um Marítimo assim, nem o próprio Benfica o imaginava. Equipa completamente remodelada no seu querer e na sua vontade de virar o jogo.

Roberto Souza marcou o golo de uma vida, a 30 metros da baliza. Eduardo não podia fazer mais, estávamos com uma hora de jogo. Passados apenas 10, segundo golo dos insulares, num chapéu perfeito de Sami, no meio de uma defesa benfiquista demasiado serena.

O Benfica ainda teve tempo para reagir e ir à procura do empate. Uma entrada tardia de Aimar, mais uma substituição desesperada de Jesus com a entrada de Nélson Oliveira, não foram suficientes para deitar por terra um Marítimo, que vence, convence, e está nos quartos de final da Taça com todo o mérito.

Veja aqui o resumo da partida em vídeo.

Mais partilhadas da semana

Subir