Nacional

Maria Vieira: “Não confiava a minha economia doméstica a Centeno”

Maria Vieira já comentou a eleição de Mário Centeno, perdão, “a escolha” do ministro português para presidente do Eurogrupo. “Vai ocupar um lugar para o qual não tem a mínima competência”, antecipou.

A atriz não podia deixar passar o tema do dia, a “farsa miserável” que envolve o responsável pelas Finanças portuguesas.

Maria Vieira escreveu que a Mário Centeno “nem sequer confiava a minha economia doméstica, quanto mais a economia de um país ou de um continente”.

“Mesmo um continente que se encontra à beira de um colapso sócio-económico como esse velho e outrora democrático e próspero continente chamado Europa”, reforçou.

“O Mário Centeno foi eleito – eleito é uma palavra forte para quem na realidade foi escolhido (um dia desses todos vamos saber porquê) – para ocupar um lugar para o qual não tem a mínima competência”, salientou a ‘parrachita’.

Para Maria Vieira, “o mais hilariante de toda esta farsa foi ouvir as declarações do (esse sim, muito competente) Jeroen Dijsselbloem sobre a antecipada eleição deste Centeno”.

“E o resto do mundo viu e ouviu o mesmo que eu vi e ouvi e deve ter dado tantas ou mais gargalhadas do que aquelas que eu dei”, concluiu a atriz: “Pobre Centeno. Pobre Desgoverno Português e pobre povo de Portugal que vai pagar a fatura de toda esta farsa miserável”.

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir