Internacional

Maria Borges torna-se a primeira manequim africana do século na capa da ‘Elle U.S.’

Maria Borges é uma supermodelo angolana que acabou de fazer história na indústria da moda. É a protagonista da capa da revista norte-americana ‘Elle’, 20 anos depois de uma modelo africana ter sido a cara do título internacional. A angolana tornou-se, assim, a primeira manequim africana do século na capa da ‘Elle U.S.’.

Anteriormente, a modelo sul-sudanesa Alek Wek foi a cara da mesma revista, em 1997. O site de moda ‘Fashion Bomb Daily’ relembra que a primeira vez que uma manequim africana esteve na capa da ‘Elle’ americana foi no ano de 1985.

Agora, passados 20 anos chegou a vez da angolana Maria Borges, de 24 anos, de reescrever a história da moda, juntamente com outras cinco manequins que protagonizam a capa da edição especial de maio 2017, ‘Swimsuit Issue’.

“A indústria da moda estava aqui para todos, independentemente da raça ou cor. Na minha fase de crescimento, nunca vi alguém como eu [numa capa], e agora as outras raparigas podem ver alguém como elas. É tudo uma questão de inspiração”, disse Maria Borges em entrevista à ‘Elle U.S.’.

Maria Borges nasceu e cresceu em Angola. A CNN recentemente considerou-a uma das modelos africanas que mais barreiras e preconceitos quebrou na indústria da moda.

A angolana teve uma breve, mas bem sucedida, passagem pelas passerelles da ModaLisboa e do Portugal Fashion.

Nos últimos anos a sua carreira tem uma ascensão astronómica, tornando-se parte do pequeno grupo de anjos da ‘Victoria’s Secret’.

Em fevereiro deste ano tornou-se no rosto oficial da L’Oreal Paris.

 

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Vídeos em Destaque

Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir