Sociedade

Manifesto em Defesa da Democracia: Personalidades contra política “brutal”

indignados_ar5Um conjunto de personalidades portuguesas subscreveu o Manifesto em Defesa da Democracia, documento que aponta duras críticas à proposta de Orçamento de Estado para 2012, que a maioria governativa apresenta e que o principal partido da oposição aceita.

O Manifesto em Defesa da Democracia, que tece duras críticas à proposta do Governo, conta com o apoio de personalidades como António Arnaut, Jorge Miranda ou Helena Roseta, entre outros nomes com grande representatividade na sociedade portuguesa.

Neste manifesto, a proposta do executivo liderado por Passos Coelho é classificada como sendo “brutal, gravíssima e excessiva”, acarretando efeitos “punitivos”, sem qualquer benefício para o País, para o combate à crise e retoma económica.

Entre médicos e professores, arquitetos e filósofos, diversos nomes apontam o dedo ao Orçamento de Estado, que resume a corrente governativa dos próximos anos.

Segundo declarações à TSF do economista Paulo Trigo Pereira, o manifesto não é mais do que “uma demonstração pacífica de indignação”, por parte de pessoas que compreendem o período difícil que Portugal atravessa.

O objetivo do Manifesto em Defesa da Democracia, além de chamar a sociedade para a participação cívica, no combate a medidas que considerem injustas, é alertar o Governo, tendo em vista a correção de medidas contra-producentes.

Mais partilhadas da semana

Subir