EUA

Mãe suspeita de matar filha de 4 anos com banho em água a ferver

Um especialista considerou, em tribunal, ser “o pior caso de maus tratos infantis” com que jamais lidou. A mãe de Gabrielle Barrett, de 4 anos, matou-a com um banho em água a ferver. Aconteceu no estado do Michigan, nos EUA.

Parte do corpo da menina derreteu, devido à alta temperatura da água, e foram encontrados fragmentos da pele derretida na canalização.

Candice Diaz, de 24 anos, é suspeita de ter posto a filha numa banheira com água a ferver, provocando-lhe a morte.

A mãe da criança terá sido auxiliada pelo namorado, Brad Fields, de 28 anos.

Os suspeitos fugiram após o crime, mas foram capturados a 8 de janeiro, sete dias após o crime.

Chamado a testemunhar na sessão de instrução, o médico-legista que fez a autópsia de Gabrielle Barrett afirmou ser “o pior caso de maus tratos infantis” com que jamais lidou.

Também em tribunal, Candice Diaz alegou que foi a própria filha, de 4 anos, quem encheu a banheira com a água a ferver.

Mais tarde, mudou o depoimento, afirmando que tinha sido Gabrielle Barrett a pedir para tomar um segundo banho e que ela, a mãe, se ausentou por alguns minutos para ir fazer panquecas.

Ao voltar, encontrou a filha submersa em água muito quente, tendo chamado o namorado para que este tentasse reanimar a menina, alegou Candice Diaz.

Antes, no interrogatório realizado pela polícia, os dois suspeitos tinham alegado sofrer de perturbações mentais e que não estavam a ser medicados.

Nas buscas à casa do casal foi encontrada cocaína.

Os suspeitos encontram-se em prisão preventiva até ao julgamento.

Mais partilhadas da semana

Subir