Sociedade

Mãe de Joana Correia confirma que Rei Ghob enviou sms em nome da vítima

francisco_leitao_1A sessão de hoje do julgamento de Francisco Leitão, Rei Ghob, acusado do homicídio de quatro pessoas, ficou marcada pela confirmação, por parte dos pais de Joana Correia (uma das vítimas), de que o alegado homicida enviou mensagens escritas do telemóvel, fazendo-se passar pela jovem que já estaria morta. As fotografias no computador de Leitão, apreendido pela PJ, continham fotografias de Joana.  A mãe de Ivo Delgado também referiu que duvidou dos contactos que recebera do filho.

O pai e a mãe de Joana Correia, Sabino Correia e Fátima Silva, prestaram depoimento no Tribunal de Torres Vedras, como testemunhas, e confirmaram que receberam mensagens escritas de telemóvel suspeitas, provenientes do telemóvel da filha de 16 anos.

Desconfiaram da autoria dessas sms porque eram utilizadas palavras que não coincidiam com a forma como Joana se expressava: “okey”, em vez de “ok”, por exemplo. Ao lerem essas mensagens, acharam que teriam sido escritas por uma terceira pessoa.

“Numa mensagem do telemóvel dela, podia ler-se que ela dizia estar em França. Achámos que não teria sido ela a escrever. Por outro lado, ela não iria para o estrangeiro sem levar o recarregador do telemóvel ou as pinturas. Nem se ausentaria sem ficar contactável”, relatou Sabino Correia.

Fátima Silva e Sabino Correia revelaram ainda que Rei Ghob aconselhara os pais de Joana a procederem a recarregamentos no telemóvel da filha, para a eventualidade desta estar no estrangeiro.

Disseram ainda que o código do telemóvel estava na posse de Francisco Leitão. Mais tarde, associaram os factos e desconfiaram de que teria sido Rei Ghob a fazer-se passar por Joana Correia – a vítima desapareceram em março, mas foram enviadas sms do seu telemóvel, depois desta data.

Numa sessão emotiva, os pais de uma das quatro vítimas do alegado homicida puderam também reconhecer algumas fotografias da filha que pertenciam à própria, mas estavam no computador de Francisco Leitão, equipamento apreendido pela Polícia Judiciária. Essas imagens estavam, também, no computador pessoal de Joana.

Por seu turno, a mãe de Ivo Delgado, outra vítima que conviveu com Rei Ghob, contou uma história semelhante: contactos por via de telemóvel em nome do filho, mas que suscitaram estranheza.

Sem conter a emoção, Cecília Delgado revelou que numa sms o filho lhe pedira “um frango guisado”, por “gostar muito desse prato”, uma informação que não coincidia com os gostos de Ivo, que a família tão bem conhecia.

O julgamento prossegue nesta terça-feira, Tribunal de Torres Vedras, com a audição de outras testemunhas, familiares de vítimas.

Francisco Leitão, mais conhecido por Rei Ghob, é acusado de quatro crimes de homicídio (Ivo Delgado, de 22 anos, Tânia Ramos, de 27, a menor Joana Correia, de 16 anos, e uma quarta vítima). Foi formalmente acusado no Tribunal de Torres Vedras por estes crimes, além de ocultação de cadáveres, posse de arma e falsificação de documentos.

Várias são as suspeitas que recaem sobre Francisco Leitão. Pensa-se que será um criminoso em série. Segundo fontes policiais, Leitão “matava quem se atravessava no seu percurso sentimental”.

O alegado homicida da zona da Lourinhã senta-se finalmente no banco dos réus, para um dos julgamentos mais mediáticos do ano de 2012.

Mais partilhadas da semana

Subir