Mundo

Lula da Silva: “Sacrifícios permitirão ganhos futuros e evitam crise prolongada”

Ex-presidente do Brasil aborda cenário de crise internacional e, em especial, o caso português, na sua visita a Lisboa. Lula da Silva disse que os “sacrifícios do presente” permitem “ganhos futuros” e evitam um cenário muito mais prejudicial: “uma crise prolongada”.

Austeridade. Lula da Silva compreende-a, mas como também compreende o sentimento de quem a enfrenta, enviou uma mensagem encorajadora. Em declarações aos jornalistas, após um encontro com Cavaco Silva, o antecessor de Dilma Rousseff falou de sacrifícios, para pedir compreensão.

“Num momento em que Portugal atravessa uma crise, é necessário fazer sacrifícios. Todos poderão ganhar, no futuro, com estas medidas de correção rápida. Uma crise prolongada seria muito mais prejudicial”, defendeu.

Lula da Silva aponta um único culpado da crise internacional, que provoca danos nas economias de alguns países europeus: a especulação. “É extremamente injusto que países como Portugal, Grécia ou a Espanha estejam a pagar uma crise que foi provocada apenas pelo fenómeno da especulação”, afirmou.

Depois de ontem ter estado presente num jantar privado – promovido por Pedro Passos Coelho, com alguns ministros do executivo – Lula da Silva deixou elogios a Portugal, que está no caminho certo. “O país está bem”, refere, em tom diplomático.

No dia em que se comemora a independência do Brasil, o ex-Presidente encontrou-se com Cavaco Silva e, ainda, com o presidente do Benfica, no Estádio da Luz.

Mais partilhadas da semana

Subir