Política

Juncker “surpreendido” com dívida escondida na Madeira

jean_claude_junckerPresidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, ficou “surpreendido” com as dívidas ocultas da Madeira, que o Banco de Portugal e o Instituto Nacional de Estatística não conheciam. Dívidas escondidas atingem 571 milhões de euros, sendo que há ainda 290 milhões em débito, relativos a juros de mora.

Na Polónia, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, e o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, não quiseram tecer comentários ao buraco oculto da Região Autónoma da Madeira.

Já Jean-Claude Juncker revelou-se “surpreendido” e achou estranho que só agora se conheça o buraco. O Eurogrupo não tinha sido informado da situação.

Trata-se de uma dívida que o Banco de Portugal e o Instituto Nacional de Estatística descobriram, após uma investigação que começou em agosto.

Em 2010, foram celebrados acordos de regularização de dívidas da Madeira, que ascendem a 571 milhões de euros, valor ao qual acrescem 290 milhões em juros de mora. Nenhuma destas dívidas foi comunicada pelo Governo Regional liderado por Alberto João Jardim.

Mais partilhadas da semana

Subir