TV & Media

Julgamento: Filha de político no caso das orgias de Castelo Branco

juizTribunal de Famalicão decide levar a julgamento o caso das orgias que envolvem José Castelo Branco. Segundo o advogado de defesa, Brochado Teixeira, o ‘marchand’ surge nos vídeos com o casal de Vila Nova de Famalicão. Mas não é o único: a relações públicas de uma discoteca do Porto e a “filha de um político” também estão envolvidas.

O julgamento resulta de uma ação contra um empresário de Famalicão, acusado de obrigar a mulher a participar em orgias. Alegadamente vítima de violência doméstica, a mulher colocou uma ação em tribunal contra o marido. José Castelo Branco não é arguido, mas vê-se envolvido na história.

O advogado defesa do empresário, Brochado Teixeira, garante que José Castelo Branco participou nas orgias e adianta que o vídeo comprova-o. A estratégia passa agora por convencer Castelo Branco testemunhar neste julgamento, a favor do empresário, para garantir que os atos sexuais não eram violentos, mas consentidos por todas as partes.

Do processo constam “diversos vídeos”, que envolvem outros famosos, mas não em atos sexuais. Essas pessoas surgem em encontros de cariz social, exceto “duas pessoas conhecidas”. Brochado Teixeira assegura que são visíveis, “nas orgias, uma relações públicas de uma discoteca do Porto e a filha de um político”.

Segundo apurou o Sol, a mulher que colocou o marido em tribunal surge em algumas imagens com trajes de sado-masoquismo, com “chicotes e máscaras”. Com estas imagens, a defesa do empresário pretende justificar os ferimentos que a mulher apresenta como prova das agressões a que alegadamente era sujeita.

Esta relações públicas já confirmou a presença nestes encontros sexuais e fez aquilo que a defesa pede a Castelo Branco: “Garantiu que nenhum dos participantes foi alvo de coação”. O advogado Miguel Brochado Teixeira pretende que o ‘conde’ vá agora a tribunal dizer o mesmo.

Mais partilhadas da semana

Subir