Crónicas

Jogada desesperada?

«Em certos jogos é melhor não revelar a nossa força à primeira jogada.Atiramos um pouco mais longe a cada tentativa, avançando lentamente e surpreendendo o adversário.»

Baltazar Gracían

Theresa May, primeira ministra britânica, de quem muito se tem falado, seja sobre a forma como está a gerir o Brexit, ou sua fragilidade política, decidiu agitar as águas e dar nomes ás coisas.

Nada foi deixado de lado, acusou a Rússia de estar a tentar arrasar a ordem internacional, manipulando o processo democrático em países ocidentais, mencionou também que um dos objetivos russos é o enfraquecimento da União Europeia. Num discurso muito direto declarou que o Brexit não irá servir os interesses russos, contrariamente à expetativa de Moscovo o Reino Unido irá continuar a agir de forma coordenada com a europa no que à Rússia diz respeito

Theresa May relembrou a anexação da Crimeia, o conflito com a Ucrânia.

O inesperado da declaração deixou muitos de queixo caído.Em que estaria Theresa May a pensar, ou qual a motivação? Estará o governo britânico a lembrar à União Europeia de que existe um perigo para o qual precisam de ajuda.

Resta saber se Vladimir Putin se vai dar alguma importância ás declarações da primeira Ministra britânica, deixando sem qualquer resposta oficial! O que a acontecer seria reconhecer a pouca importância que Moscovo quer dar ao Reino Unido. O presidente Russo tem alguns acertos a fazer com o Reino Unido que foi um dos mais empenhados em que a União Europeia aplicasse sanções económicas à Rússia.Por isso caso Londres perca influência, nenhum governante russo perderá sono.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir