Insólito

Inventou morte da filha para passar férias na Costa Rica

joan_barnett_1Norte-americana, funcionária de uma escola nova iorquina, chegou mesmo a enviar uma certidão de óbito da sua filha. A mulher foi descoberta depois de outro docente da mesma instituição ter detetado erros no documento comprovativo.

Chama-se Joan Barnett, trabalha numa escola em Nova Iorque, e é esta semana notícia depois de ter arranjado uma desculpa inacreditável para faltar ao serviço e ir passar férias. A mulher informou a administração da instituição escolar de que a sua filha mais nova tinha morrido. O comunicado foi feito por outra filha sua, que ligou com a escola afirmando que a sua irmã havia sofrido um ataque cardíaco.

Mas não foi só, a menina parece que tinha falecido na Costa Rica, portanto a família iria viajar para aquele país. A mentira estava feita e entregue, era hora de fazer as malas para ir passar uns dias de férias.

Já na Costa Rica, Joan enviou uma certidão de óbito, falsa claro, para a escola. Inicialmente toda a gente acreditou, menos um homem, também docente na mesma escola. Segundo o mesmo, o documento parecia ter sido desenhado, as letras não combinavam nem estavam alinhadas.

Contudo, só a viriam a descobrir dias mais tarde, já depois das férias bem gozadas ao sol da Costa Rica. As autoridades comprovaram também que a sua filha Xinia estava afinal viva, e bem viva.

Para já, ainda não é conhecida qualquer pena ou multa que Joan poderá vir a receber por parte da escola. Já quanto à mentira sobre a morte da sua própria filha, trata-se apenas de uma questão moral, infelizmente.

Mais partilhadas da semana

Subir