Motociclismo

A inesquecível experiência de Miguel Oliveira na KTM de MotoGP

Miguel Oliveira teve a sua primeira experiência aos comandos de uma máquina de MotoGP no Circuito de Motorland Aragon, onde a KTM permitiu ao piloto português realizar algumas voltas aos comandos da RC16. Foram menos de 20 voltas ao traçado espanhol, mas deu para que o piloto português pudesse perceber as diferença que separam esta máquina da que atualmente tripula no Moto 2.

No fundo foi um prémio da marca austríaca à excelente temporada que Oliveira está a fazer na classe intermédia do Campeonato do Mundo de Velocidade em motociclismo.

Para o piloto de Almada tratou-se de “um momento emocionante” e perceber coisas como o poder de travagem e aceleração, tentando absorever todas as sensações destas duas saídas”.

”Com esta moto não há retas, quase não há tempo para respirar. Tirar a cabeça para virar a 330km/h é mais complicado, tudo se torna mais curto pelo poder de aceleração da moto e o que antes eram pequenas retas agora não é nada”, explicou

Os travões de carbono são substancialmente distintos do que estou habituado, no início é muito difícil levar os discos à temperatura correta para começar a travar. O diâmetro e a espessura são enormes, por isso as temperaturas que atingimos a travar são muito elevadas e daí o poder de travagem ser muito maior”, acrescentou Miguel Oliveira.


Patrocinado

Apps PT Jornal

Descarregar na App StoreDescarregar do Google Play

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir
error: