Motores

Hyundai quer andar na frente na Austrália

Se a Hyundai falhou os títulos de pilotos e construtores, que acabaram por ir parar às mãos de Sebastien Ogier e da M-Sport, na derradeira prova do Campeonato do Mundo de Ralis quer andar na frente a ganhar, ainda que a Austrália seja uma prova muito peculiar.

Para a marca coreana vê como essencial terminar 2017 em boa nota, já que nem Thierry Neuville nem Andreas Mikkelsen conseguiram fazer a diferença para ‘travar’ Ogier e a M-Sport esta época.

“Abordamos o Rali da Austrália com esperanças de conseguir um bom resultado de equipa. Temos todos os ingredientes para sermos competitivos na terra australiana. Devemos aceitar o nosso segundo lugar no campeonato atrás da M-Sport, mas podemos ver igualmente a época de 2017 como um verdadeiro progresso da nossa equipa”, assinala Michel Nandan.

“Se tivermos tudo no sítio na Austrália espero que não apenas estejamos na luta pela vitória, mas também possamos colocar vários carros no pódio. Haverá novas especiais este ano, para além das que já conhecemos. Conseguimos o terceiro lugar em 2016 com Thierry (Neuville) e Nicolas (Gilsoul) e as nossas ambições são claramente mais elevadas este ano. Os nossos adversários querem a mesma coisa, e devemos evoluir ao nosso melhor nível”, acrescenta o diretor da Hyundai Motorsport.

Thierry Neuville mostra-se mais motivado, e vai procurar terminar a época como vice-campeão do Mundo depois de ter conseguido recuperar o segundo lugar no campeonato. “Aprecio a Austrália. É uma prova onde já terminei no pódio por duas ocasiões O meu objetivo é claro: quero garantir o segundo lugar no campeonato. Sabemos que temos o ‘pacote’ técnico para evoluir e devemos conseguir esse objetivo com um pouco de sorte”, refere o piloto belga.

Também o novo reforço da equipa, Andreas Mikkelsen, quer voltar aos tempos de 2016, quando conseguiu na Austrália a última vitória para a Volkswagen: “A Austrália é provavelmente o meu rali preferido da minha época, e consegui lá algumas coisas formidáveis. Eu guardo uma recordação fantástica da minha vitória em 2016 e espero que seja de novo conseguida, agora com a Hyundai. Seria uma forma soberba de concluir a época e preparar a campanha de 2018. Continua a ser uma prova exigente e nada está garantido. Temos uma posição de partida vantajosa e contamos aproveitar isso”.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir