Sociedade

Homem tenta violar taxista e consuma o crime em prostituta em Portimão

presoEstava em liberdade há quatro meses, depois de cumprir pena por violação, e em dois dias tentou violar uma taxista e consumou o ato numa prostituta. A diretoria do Sul da Polícia Judiciária (PJ) e Guarda Nacional Republicana (GNR) detiveram este homem, pela prática de crimes sexuais. O caso ocorreu em Portimão, sendo que o suspeito, de 27 anos, acabou em prisão preventiva.

Um homem de 27 anos foi detido pela PJ e pela GNR de Portimão, pela prática de dois crimes – um na forma tentada, outro na forma consumada. Os atos ocorreram em dois dias apenas: tentou violar uma taxista, que conseguiu evitar a agressão sexual, e conseguiu a violação numa prostituta, no dia seguinte, junto a uma estação de comboios naquela cidade.

O suspeito foi sujeito a um interrogatório judicial, sendo que o juiz decretou prisão preventiva, até porque estava perante um homem que já tem um histórico de agressões do género e que cumpriu pena de prisão por violação. Em liberdade há quatro meses, o suspeito enfrenta agora nova pena.

A Polícia Judiciária e a GNR de Portimão conseguiram deter o suspeito, na madrugada do passado domingo. Os inspetores e agentes foram para o terreno, depois de a prostituta ter apresentado queixa na esquadra da Polícia de Segurança Pública. Segundo a mulher, o homem obrigou-a a ter relações sexuais sem preservativo.

As autoridades necessitaram de apenas 20 horas para referenciar e deter o suspeito, que não apresentou qualquer tipo de resistência, aquando da detenção. E só após a captura do predador foi possível perceber que se tratava da mesma pessoa que, antes, tentara violar uma taxista de Lagos, na quinta-feira, mas sem sucesso.

O Correio da Manhã contou a história dessa tentativa de violação, que ocorreu no Mercado Municipal de Lagos. O homem entrou no táxi e solicitou que fosse conduzido até uma local ermo, em Monte Canelas.

A mulher, de 50 anos, foi despida e amarrada, mas a violação não foi consumada. O suspeito roubou o carro e abandonou-o a cerca de três quilómetros do local. O homem está agora em prisão preventiva, pela prática de dois crimes e com um histórico que deverá agravar a pena.

Mais partilhadas da semana

Subir