País

Há agora 82 centros de referência para tratar doenças de 13 áreas prioritárias

Um despacho do ministro da Saúde fez aumentar o número de centros de referência em Portugal, que agora totalizam 82. Estes centros estão vocacionados para o tratamento de doenças em 13 áreas prioritárias, como transplantes, oncologia pediátrica e cardiologia.

Delineados na altura em que o ministro da Saúde era Paulo Macedo, os centros de referência são unidades com reconhecidos conhecimentos técnicos para proporcionar “benefícios para os doentes e para os sistemas de saúde”, dando resposta a situações clínicas que exigem especial concentração de recursos.

A partir de hoje, de acordo com a Lusa, um despacho do novo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, define um aumento do número de centros de referência para um total de 82, contemplando mais 13 áreas prioritárias, dando seguimento à proposta da Comissão para o reconhecimento de Centros de Referência.

As novas áreas prioritárias são cardiologia de intervenção estrutural, cardiopatias congénitas, doenças hereditárias do metabolismo, epilepsia refratária, oncologias de adultos (cancro do esófago, cancro do testículo, sarcomas das partes moles e ósseos, cancro do reto, cancro hepatobilio-pancreático), oncologia pediátrica, transplantação renal pediátrica, transplante de coração e transplante de rim (adultos).

Os novos centros de referência são, na área de cardiologia de intervenção estrutural, o Centro Hospitalar de São João (Porto), o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar Lisboa Norte, o Centro Hospitalar de Lisboa Central e o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental.

Nas cardiopatias congénitas foram escolhidos o Centro Hospitalar de São João, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar de Lisboa Central e o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, em colaboração interinstitucional com o Centro Hospitalar Lisboa Norte e em colaboração interinstitucional com o Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa.

Na área de doenças hereditárias do metabolismo foram reconhecidos quatro centros de referência: o Centro Hospitalar de São João, o Centro Hospitalar do Porto, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Centro Hospitalar Lisboa Norte.

O Centro Hospitalar de São João, no Porto, foi o único reconhecido na área de epilepsia refratária.

Na oncologia para adultos, foram reconhecidos, ao nível dos cancros do esófago, o Centro Hospitalar de São João, o Instituto Português de Oncologia do Porto, Francisco Gentil, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar Lisboa Norte e o Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil.

Em relação ao cancro do testículo, os novos centros de referência são o Centro Hospitalar de São João, o Instituto Português de Oncologia do Porto, Francisco Gentil, em colaboração interinstitucional com o Centro Hospitalar do Porto, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil.

Para os Sarcomas das Partes Moles e Ósseos foram designados o Centro Hospitalar do Porto, o Instituto Português de Oncologia do Porto, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar Lisboa Norte, E.P.E., e o Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil.

Na área do cancro do reto, foram reconhecidos o Hospital de Braga, o Centro Hospitalar de São João, o Centro Hospitalar do Porto, o Instituto Português de Oncologia do Porto, Francisco Gentil, o Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil, o Centro Hospitalar Lisboa Norte, o Centro Hospitalar de Lisboa Central, o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, o Hospital da Luz, o Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca, o Centro Integrado dos Hospitais Cuf Lisboa (Hospital Cuf Infante Santo S.A. e Hospital Cuf Descobertas), a Sociedade Gestora do Hospital de Loures – Hospital Beatriz Ângelo (Loures) e o Centro Hospitalar do Algarve.

Para o cancro hepatobilio-pancreático, os centros de referência são o Centro Hospitalar de São João, o Centro Hospitalar do Porto, o Instituto Português de Oncologia do Porto, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar Lisboa Norte, o Centro Hospitalar de Lisboa Central.

Na área de Oncologia Pediátrica, os centros reconhecidos foram o Instituto Português de Oncologia do Porto, em colaboração interinstitucional com o Centro Hospitalar S. João, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e o Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil, em colaboração interinstitucional com o Centro Hospitalar Lisboa Central e com o Centro Hospitalar Lisboa Norte, na área dos tumores do sistema nervoso central.

Na área do transplante de coração foram escolhidos o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e na área do transplante do rim em adultos o Centro Hospitalar de São João, o Centro Hospitalar do Porto, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o Centro Hospitalar de Lisboa Central e o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental.

Para a transplantação renal pediátrica foram reconhecidos o Centro Hospitalar do Porto e o Centro Hospitalar Lisboa Norte.

6Shares

Mais partilhadas da semana

Subir