Insólito

GNR baleado por homem que juiz acabara de libertar

gnrAgente da GNR atingido a tiro, em Bragança, por um homem que tinha sido presente a juiz, por conduzir uma viatura roubada. Acabou por ser libertado, apesar dos antecedentes criminais, e logo a seguir voltou a cometer diversos crimes: feriu um agente da polícia, disparou contra uma patrulha e escapou às autoridades.

O incidente deu-se às 03h00 desta sexta-feira, quando o homem disparou por diversas vezes contra uma patrulha da Guarda Nacional Republicana, em Carrazeda de Ansiães. Além de ter acertado no carro da GNR, feriu um militar.

O elemento da guarda foi transportado ao hospital, tendo recebido tratamento, com um prognóstico favorável: livre de perigo, apenas com os ferimentos. Encontra-se estável e em recuperação.

Não se conhecia o autor dos disparos, apesar de as autoridades terem identificado a arma (uma caçadeira), através das balas que recolheram no local. Mais tarde, a agência Lusa avançou com a informação de que o homem fora presente a juiz, nesse dia.

Com antecedentes criminais, foi detido no dia anterior, durante uma operação de fiscalização de trânsito. Conduzia uma viatura furtada e recebeu ordem de detenção. Segundo fonte policial, acabou por ser libertado, mais tarde, pelo Tribunal.

Essa detenção, além do carro roubado, foi seguida de diversos insultos aos agentes e de ameaças de morte, feitas aos militares e ao comandante do destacamento.

A GNR estava precisamente a levar a cabo uma operação de dimensão internacional, que pretendia travar o furto de carros em diversos países europeus. O detido tinha furtado a viatura em Espanha.

Mais partilhadas da semana

Subir