Desporto

Futre homenageado antes do Atlético de Madrid-Sporting

O Atlético de Madrid anunciou hoje que o antigo futebolista português Paulo Futre vai ser homenageado antes do jogo com o Sporting, da primeira mão dos quartos de final da Liga Europa de futebol.

“O Atlético de Madrid-Sporting vai ser um jogo muito especial para Paulo Futre. O ex-futebolista verá hoje como as duas equipas da sua vida se enfrentam num bonito duelo (…). Desta forma, minutos antes do encontro, o astro português vai ser homenageado no Wanda Metropolitano e vai devolver todo o carinho granjeado pelos adeptos dos dois clubes”, lê-se num comunicado dos ‘colchoneros’.

Sporting e Atlético de Madrid defrontam-se hoje, no Wanda Metropolitano, em Madrid, a partir das 20:05 (hora de Lisboa), em jogo da primeira mão dos ‘quartos’. O segundo encontro está marcado para dia 12, no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

“O ex-futebolista português vai ser o embaixador da eliminatória, apelando a que os adeptos desfrutem deste grande embate com o máximo ‘fair play’ e que apoiem ‘como sempre as suas equipas, com todo o carinho e a máxima paixão’, para contribuir que os jogos ‘sejam uma festa em Madrid e em Lisboa”, acrescenta o clube madrileno.

Futre, de 52 anos, cumpriu a sua formação no Sporting, antes de rumar ao FC Porto, no qual jogou três temporadas. Seguiram-se seis épocas nos ‘colchoneros’, antes de ingressar no Benfica e de vestir as camisolas de Marselha, Reggiana, AC Milan, West Ham e Yokohama Flugels.

“Hoje, Futre vai ver como o clube em que cresceu e o clube que se converteu na sua casa se unem para o homenagear, sob a bandeira do ‘fair play’. Futre vai descobrir o Wanda Metropolitano [o novo estádio do Atlético] pela primeira vez, para receber o reconhecimento dos adeptos dos dois clubes”, remata o emblema da capital espanhola.

Em entrevista à Lusa, Futre já tinha confirmado que seria a primeira vez que iria conhecer o novo recinto ‘colchonero’, depois de ter adiado esta oportunidade, por ainda estar muito ligado ao antigo Vicente Calderón.

“Já tive oportunidade de ir, mas não fui porque tenho o Calderón na minha mente. Pensei que ia estar nostálgico durante o jogo e, portanto, a minha primeira vez vai ser esta. No Calderón conhecia os ruídos como a palma da minha mão e conseguia perceber o que acontecia dentro do campo mesmo estando fora”, referiu, então, o antigo extremo.

Ver mais

Mais partilhadas da semana

Subir