Facebook

Os vídeos de anúncios no Facebook tiveram o tempo de visualização inflacionado

publicidade-marketingAo longo de dois anos, o Facebook enviou aos anunciantes estatísticas com dados errados, revela o The Wall Street Journal. O tempo de visualização dos vídeos foi muito inferior ao que a rede social divulgava.

Os clientes e os marketeers sentem-se enganados, pois não sabem se a faturação foi ‘corrigida’, como o Facebook assegura.

O escândalo começou há uma semana, quando a rede social publicou um aviso, no ‘Centro de ajuda aos anunciantes’, a explicar que tinha solucionado um problema na métrica para calcular o tempo médio que os utilizadores passavam a ver os vídeos.

De acordo com essa explicação, a métrica estava inflacionada porque só eram contabilizadas as visualizações dos vídeos com mais de três segundos de duração.

No mesmo texto, o Facebook assegurava que estava a resolver o problema, com a introdução de uma nova fórmula de métrica, e garantia que os clientes não foram afetados na faturação.

“O erro foi corrigido e não impactou na faturação. Além disso notificámos os nossos parceiros. Também redominámos a métrica para tornar claro o que medimos. Esta métrica é um dos muitos sistemas que os nossos parceiros usam para avaliar as suas campanhas de vídeo”, referia o texto.

A rede social foi confrontada quase de imediato por vários anunciantes, acabando por prestar mais detalhes sobre a situação.

O grupo Publicis, cujos clientes investiram no ano passado cerca de 68,7 mil milhões de euros em anúncios na rede social, adiantou ao The Wall Street Journal que o Facebook admitiu uma inflação do tempo médio de visualização de um vídeo entre os 60 e os 80 por cento.

O artigo do jornal fez despertar a revolta dos anunciantes e marketeers, que agora questionam se não teria sido mais rentável investir a publicidade noutras plataformas, como o YouTube, ou até noutras redes sociais, como o Twitter. Isto sem falar no suporte mais ‘tradicional’, a televisão.

Ainda de acordo com o The Wall Street Journal, só no último trimestre o Facebook ganhou 6240 milhões de dólares em publicidade.

Mais partilhadas da semana

Subir