Sociedade

Explosão de material pirotécnico mata casal de Coimbra

foguetesDois mortos, um homem e uma mulher, é o balanço de uma explosão em Coimbra, numa habitação da freguesia de São Paulo de Frades. Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro, no rés do chão da casa funcionava uma loja de material pirotécnico. A explosão terá sido provocada pelas faíscas de uma rebarbadora.

O acidente ocorreu por volta das 13h00 desta quarta-feira, no rés-do-chão da habitação, na aldeia de Golpe, e retirou a vida aos proprietários, marido e mulher, comercializavam material pirotécnico, que era armazenado em casa.

Os bombeiros – que mobilizaram 47 operacionais e 17 viaturas para o combate às chamas e na prevenção de novas explosões – suspeitam de que o material pirotécnico explodiu devido a faíscas provocadas por uma rebarbadora.

Segundo o chefe dos Bombeiros Sapadores de Coimbra, António Rosa, o primeiro piso ruiu, dificultando a remoção dos corpos, que só foi concluída às 17h30. A explosão provocou danos em habitações vizinhas – uma delas propriedade da filha do casal que faleceu.

O homem, Manuel Lopes, tinha 54 anos, era funcionário da empresa Águas de Coimbra e dedicava-se à venda de foguetes. No momento em que se deu a explosão, estava a utilizar uma rebarbadora, segundo garantiu à Lusa um familiar.

A primeira explosão suscitou outras, de tal forma fortes que provocaram a morte de Preciosa Amado, de 55 anos, que estaria a cozinhar no primeiro andar.

 

Mais partilhadas da semana

Subir