Cultura

Editora de revista demite-se após polémica de racismo contra Rihanna

rihannaO caso da jornalista de uma revista de moda que apelidou Rihanna de “prostituta negra” avançou, com a renúncia ao cargo, por parte da autora da discriminação racial. Eva Hoeke, há oito anos editora-chefe na revista Jackie, apresentou a demissão. A publicação pediu desculpa a Rihanna, depois de a cantora dos Barbados ter apelidado a publicação de “triste exemplo da evolução dos direitos humanos”.

Outra vez o racismo no caminho de Rihanna. Depois de ter denunciado no Twitter um encontro com “o maior racista do mundo”, em Portugal, a cantora enfrenta agora um novo ataque, desta vez com uma revista a apelidar Rihanna de “nigga bitch”, que pode ser traduzido como “prostituta negra”.

Eva Hoeke abordava a forma como Rihanna se vestia e dava alguns conselhos aos jovens sobre a maneira como se deveriam vestir, se fossem estrelas pop. A cantora não gostou do que leu e utilizou a rede social Twitter para se defender do que considerou ser um ataque racista da jornalista Eva Hoeke.

Lacónica e dura para com a jornalista, Rihanna utilizou um simples “fuck you”, que só pode ser traduzido de uma forma – “Vai-te foder” –, e que permite perceber a indignação com que acolheu aquelas palavras.

Mas a cantora foi mais longe e acusou a revista de dar um “triste exemplo” do que tem sido “a evolução dos direitos humanos”. Estas palavras sobrepuseram-se ao pedido de desculpas feito pelos responsáveis da Jackie.

Eva Hoeke, editora-chefe na revista há oito anos, apresentou a demissão e deixou o cargo de forma imediata, depois de ter justificado o termo “prostituta negra” e o contexto em que o utilizou.

Mais partilhadas da semana

Subir