Mundo

Criança de 6 anos dorme 19 horas diárias e adormece a cada cinco minutos

narcolepsiaUm menino britânico sofreu efeitos secundários de uma vacina contra a gripe A (Pandemrix), que lhe provocou narcolepsia, uma doença que se revela numa necessidade incontrolável de dormir. O pequeno Josh Hadfield, de 6 anos, dorme 19 horas por dia e adormece de cinco em cinco minutos.

Este caso de narcolepsia extrema terá sido suscitado por uma vacina contra a gripe A, Pandemrix. Josh Hadfield, um menino que reside em Somerset (Inglaterra) foi vítima de uma associação entre aquele fármaco e a doença, ligação que já tinha sido detetada num estudo realizado na Suécia e na Finlândia.

O pequeno Josh necessita de 19 horas de sono e tem dificuldade em levar a cabo qualquer atividade física. O cansaço depressa se transforma em sonolência e em incapacidade de se manter acordado.

Esta criança necessita de ser acordada durante a noite para ser alimentada, o que é feito pela mãe, de quatro em quatro horas. Durante o dia, Josh Hadfield não consegue brincar, praticar desporto ou, sequer, alimentar-se.

Caroline Hadfield, mãe do menino britânico, está “convencida” de que “foi a vacina que provocou este problema” ao filho. Caroline relata ainda variações de humor do seu filho, que nunca sucederam, antes da toma da vacina contra a gripe A.

O que é a narcolepsia?

A narcolepsia é um distúrbio do sono grave, uma doença neurológica que se revela numa necessidade incontrolável de dormir. Revela-se através da vulgar preguiça, numa excessiva sonolência e na dificuldade de concentração. Torna-se perigosa nos casos em que os doentes têm de lidar com máquinas – na condução, por exemplo –, ou em tarefas domésticas simples, ou na aprendizagem.

Há casos em que os doentes com narcolepsia menos grave não se apercebam da doença e considerem normal essa sua necessidade de dormir. Nestas situações, o narcoléptico enfrenta problemas profissionais e familiares, já que o excesso de sono é associado à preguiça. Regra geral, a narcolepsia revela-se na adolescência.

O tratamento desta doença é feito com recurso a medicamentos, cuja função é manter o narcoléptico acordado, e com o acompanhamento constante, ao longo da vida do paciente.

Existe uma doença semelhante, um pouco mais grave, que se revela numa perturbação do sono grave. Chama-se ‘síndrome de Kleine-Levin’. Uma norte-americana dorme 23 horas por dia e só acorda para poder ser alimentada pelos pais. Em cada sete meses que passam, tem necessidade de dormir dois, sem interrupção.

Mais partilhadas da semana

Subir