Mundo

Coreia do Norte chora morte do ditador Kim Jong-Il

kim-jong-iiDesde cidadãos anónimos a pivôs de televisão da Coreia do Norte, todos choram a morte do ditador Kim Jong-Il. Os turistas são obrigados a fazer uma vénia perante a estátua do “querido líder”. Algumas lojas estão encerradas e os locais de culto são ponto de destino da maioria dos norte-coreanos.

A emoção marca o dia na Coreia do Norte, que sente já saudade do presidente Kim Jong-Il, que faleceu aos 69 anos, sucumbindo aos diversos problemas de saúde que o afetavam desde 2008.

Kim Jong-Il deixa saudade, apesar de ter sido um líder responsável pela fome no país, com grandes dificuldade económicas. O líder estratega e excêntrico deixa saudade no seu povo, que chora lágrimas sentidas.

A pivô do canal de televisão controlado pelo regime chorou, no momento em que anunciou a morte do ditador norte-coreano. As pessoas choram quando são confrontadas com a perda do líder. Os turistas são obrigados a prestar uma homenagem ao líder da Coreia do Norte e os locais de culto são ponto de paragem obrigatória.

O filho de Kim Jong-Il – Kim Jong-Un, de 30 anos – sucede ao pai na liderança do regime norte-coreano sem que se conheçam as suas ideias e estratégias para um país com graves problemas económicos

Apesar da morte do líder norte-coreano, a Amnistia Internacional considera que, em termos políticos, nada vai mudar na derradeira dinastia comunista mundial, .

Mais partilhadas da semana

Subir