Sociedade

Contas de Duarte Lima bloqueadas para que BPN seja ressarcido em 40 milhões

duarte_limaO Ministério Público solicitou o bloqueio das contas bancárias de Duarte Lima, para que o Banco Português de Negócios (BPN) possa ser ressarcido dos danos patrimoniais que possam ser provados em tribunal. Também as contas de Pedro Lima, filho do advogado, e de Vítor Raposo, envolvido na alegada burla, estão congeladas.

Duarte Lima, Pedro Lima e Vitor Raposo não podem movimentar as contas bancárias, em virtude de um pedido do Ministério Público que quer ver salvaguardado o máximo de património dos acusados da burla que terá prejudicado o BPN em cerca de 40 milhões de euros.

A informação foi avançada pelo Correio da Manhã, que revela também que os arguidos ainda não receberam qualquer notificação. Não é conhecido o montante total que os três acusados dispõem em todas as contas bancárias, mas o objetivo é, mais do que garantir a devolução da totalidade da perda, precaver um desvio do dinheiro.

Duarte Lima fez diversas vendas, nos últimos tempos, com vendas de património de valor elevado, sobretudo em obras de arte, mas também em propriedades. Esta ação levou o Ministério Público a acreditar que o arguido, que também responde pelo crime de Rosalina ribeiro, no Brasil, pudesse estar a preparar uma fuga.

Recorde-se que o advogado e antigo deputado está envolvido num processo de fraude e crime económico, relativo a compras e vendas de terrenos na zona de Oeiras. Estes negócios envolvem também Pedro Lima e Vitor Raposo.

A fraude levou a que alguns proprietários de terrenos vendidos tivessem de lidar com dívidas às Finanças, devido a mais-valias. A intimação às famílias, para pagar as mais-valias, permitiu perceber aos proprietários que houve duplas escrituras e que o real valor da venda do terreno era superior.

O filho de Duarte Lima, Pedro Lima, e o advogado investigado pela Polícia Judiciária também responde por esta fraude, onde o BPN é parte. A assinatura de ambos em diversas escrituras denuncia a participação na alegada burla.

Duarte Lima enfrenta também outro processo de crime, no caso-Rosalina Ribeiro. O Ministério Público do Rio de Janeiro acredita que o advogado é o culpado da morte da companheira de Tomé Feteira, cuja herança gerou uma luta nos tribunais.

Mais partilhadas da semana

Subir