Economia

Comissão Europeia quer “vigilância reforçada” para Portugal

durao_barrosoA Comissão Europeia (CE) pretende aumentar a vigilância sobre as contas portuguesas, de forma intensa, até que o país cumpra 75 por cento do pagamento do empréstimo, ao abrigo do programa de resgate financeiro da troika. A proposta apresentada pela CE alarga-se a todos os estados-membros da Zona Euro e estende-se ao período posterior ao pagamento da totalidade da dívida.

Enquanto Portugal não cumprir três quartos do pagamento do empréstimo de 78 mil milhões de euros – o que representa 58,5 mil milhões de euros – a Comissão Europeia vai analisar as contas portuguesas, com “uma série de novas disposições de vigilância reforçada”.

Uma proposta da Comissão Europeia pretende uma análise exaustiva, no sentido de garantir que Portugal, bem como restantes 16 países da Zona Euro sujeitos a programas de resgate, cumpra as obrigações estabelecidas no acordo com a troika.

Apesar de se aplicar aos 17 países que partilham a moeda única, a medida tem como especial enfoque os estados que enfrentam problemas por défices excessivos e que possam pôr em causa a estabilidade da Zona Euro.

Desde modo, a CE pretende garantir a estabilidade económica da Europa e evitar situações como a da Grécia. Mesmo depois do programa de resgate, o órgão liderado por Durão Barroso pretende também acompanhar as economias dos países.

Esta é outra proposta deste organismo, numa altura em que diversos países atravessam dificuldades que podem afetar a estabilidade da moeda única.

Mais partilhadas da semana

Subir