Motores

Citroën de regresso aos ralis em Portugal e com C3 R5 no horizonte

A Citroën Vodafone Team está de regresso aos ralis nacionais para disputar o Campeonato de Portugal da especialidade, e José Pedro Fonte e Inês Ponte também, depois do acidente do Rali de Portugal que os afastou das especiais. Agora a equipa está de volta para disputar as nove provas inscritas no calendário da competição, que se inicia em Fafe em meados de fevereiro.

Para já o regresso de Zé Pedro e Inês será feito com o DS3 R5, idêntico ao que utilizaram aquando do acidente no Rali de Portugal, mas mais para a frente irão dispor de um novíssmo C3 R5.

A estrutura do Citroën Vodafone Team manter-se-á na Sports&You, sediada em Baltar, sendo o objetivo recuperar o título que não foi possível defender em 2017, como assume José Pedro Fontes: “Num projeto desta envergadura, o nosso principal objetivo consiste, naturalmente, na revalidação dos títulos de Pilotos e Navegadores que conquistámos em 2015 e 2016, embora haja várias outras questões a equacionar, nomeadamente o modo como nos iremos sentir no interior deste excelente automóvel de competição que, por muito confortável que o possamos tornar, no sentido de minimizar os danos no nosso processo de recuperação, não deixa de estar associado à dureza típica de uma prova de estrada”.

Claro que antes do arranque da temporada iremos realizar vários testes de adaptação, mas uma coisa são esses ensaios privados, outra coisa é a competição real, no terreno de jogo. Vamos iniciar o ano com algumas cautelas e a apalpar terreno e, caso tudo esteja perfeito do lado humano, vamos, decerto, alcançar um bom resultado em Fafe. É com enorme alegria que anunciamos o nosso regresso ao Nacional de Ralis, quer em termos da equipa Citroën Vodafone Team, quer de mim próprio e da Inês Ponte, assim que tal seja possível por parte dela”, refere também o piloto do Porto.

Foi grande, enorme mesmo, este intervalo que se tornou obrigatório para que ambos pudéssemos recuperar devidamente dos ‘estragos’ provocados pelo nosso grave acidente em maio último, seguindo à risca as instruções das nossas equipas médicas, a quem aproveito para agradecer publicamente todo o trabalho realizado para a nossa total recuperação”, sublinha Zé Pedro Fontes.

A estreia com o Citroën C3 R5 deverá acontece somente em maio, uma vez que o modelo ainda está em processo de homologação. “Em face dessa realidade temporal, o meu objetivo será fazer a estreia do novo C3 R5 no Vodafone Rally de Portugal, o que a acontecer seria ouro sobre azul, pois não só seríamos uma das primeiras formações a usá-lo numa prova do WRC, como também nos permitiria partir em busca de um bom resultado que nos fizesse ‘esquecer’ o nosso acidente na anterior edição. Estamos a envidar todos os esforços para que tal aconteça, mas ainda nada está assegurado quanto à data em que o iremos poder estrear”.

José Pedro Fontes mostra também o seu contentamento com o anúncio da participação da Hyundai no campeonato: “Assinalamos o crescendo em torno do CPR, com mais marcas envolvidas no campeonato e, com elas, o regresso de pilotos de renome, junto com as enormes qualidades dos nossos habituais adversários, pelos quais nutrimos o maior respeito. As notícias que já têm vindo a público para a nova temporada de 2018 do CPR, nomeadamente ao nível da categoria R5, permitem antever equipas extremamente competitivas e muito bem preparadas, algo que não nos irá facilitar a tarefa, tornando as lutas pelos lugares de topo difíceis, mas também muito mais interessantes. Daqui a mês e meio veremos em que patamar é que cada um se coloca, definindo a partir de então a estratégia para as provas seguintes”.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: